07| Entre os muros de pedra

Página 4 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: 07| Entre os muros de pedra

Mensagem por Ayzen em Qui 09 Out 2014, 11:30

Blue continuava deixando o jovem em situações não tanto agradáveis, mas no fim tudo deu certo. Com certeza, Chris já imaginava os problemas que Blue iria causar, caso seguisse o jovem que dizia ser um gladiador, mas ele teria que sempre driblar a morena até os Armagedons conquistarem o poder? Seria aventuras incríveis, complicadas e um tanto quanto cômicas. A morena se debruçava na cama, observando o Pokémon amarelado que dormia profundamente. O jovem não perdia tempo e entregava as duas Pokéballs para o desmemoriado, que ao vê, apenas ficou com uma cara meio estranha. Ele parecia não compreender o que se passava, ficando com cara de bobo.

Blue ainda analisava o Abra quando Chris citou que o homem reencontraria a sua mãe, o mesmo fez um sorriso bobo na cara. Blue abraçou o homem e sorriu para ele, enquanto Zorua voltava a sua forma original e pulou nos braços de Blue, lambendo-a e arrancado sorrisos da morena. Em seguida a Dark foi para os braços do seu dono e do nada, o homem ficou com cara séria, como se assistisse um filme triste em sua mente. Abra despertava, levantava-se olhando para os lados e encontrava o amnésico que naquele momento ele parecia está se recuperando.

- Espera... Eu não vou encontrar a minha mãe... Eu sou um...

Abra segurava no cara e em um flash, sumia do nada. A memória do gangster estava retornado, mas antes que o mesmo pudesse revelar algo, sumia do nada, deixando Blue em dúvidas...

- Jordan? O que ele quis dizer?

A morena olhava com a cara confusa para o seu parceiro e antes que Chris gaguejasse alguém batia na porta e salvava o Arruaceiro. A morena abria e de lá uma empregada chamava Chris de longe. Parecia algo importante e queria falar com ele em particular.

- Jordan, é para você...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 07| Entre os muros de pedra

Mensagem por Chris Storm em Qui 09 Out 2014, 20:21

Salvo pelo gongo! Após a saída de cena dramática do ex-desmemoriado, alguém bateu a porta do quarto, impedindo com que o gangster tivesse que dar alguma explicação para a garota. O rapaz sorriu tentando amenizar a situação e correu até a porta em que Blue atendia uma mulher com uniforme de empregada.

– Oh, deve ser serviço de quarto ou algo do tipo... – Murmurou o gangster, enfiando-se entre a garota e a porta, segurando a porta e encarando a gladiadora. – Blue, porque não aproveitamos que estamos aqui e gozamos um pouco desse conforto? Você não quer tomar um bom banho? Eu farei isso daqui a pouco, seria de grande ajuda se você fosse primeiro, já que só há um banheiro nessa suíte. – Sugeriu o rapaz. Nem sabia se poderia passar o resto da noite naquele lugar, embora esperasse que sim. E sabia que ninguém resistiria a uma boa ducha quente.

Fechou a porta com a gladiadora ainda dentro do cômodo e atendeu a moça que o chamava ainda no corredor. Ele estava um pouco nervoso, a expressão de desespero do desmemoriado ao aparentemente se lembrar de tudo não deixou apenas a garota encucada, mas a ele também. Será que ele estava levando alguém para queima de arquivo? Tal pensamento não saia de sua cabeça, restando-lhe se forçar a acreditar que não foi nada disso e que o sujeito e os seus pokémons estão bem agora e eles um dia estarão juntos em um mundo mais justo.

– Pois não? – Disse o gangster à empregada.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 07| Entre os muros de pedra

Mensagem por Ayzen em Sex 10 Out 2014, 00:47

Chris havia finalmente concluído a sua missão. Embora o jovem gangster tivesse em mente que o seu alvo havia recuperado, pelo menos, parte da memória, se preocupava se ele estaria levando o homem para ser eliminado após ter falhado em uma missão. De fato um pouco de encontro com os ideais armagedons, mas mesmo assim seria feito caso necessário. O jovem deixava isso de lado e atendia a porta onde a empregava se encontrava, dispensando Blue para que ela tomasse um banho. Com tudo sendo trocado de situação a favor do gangster, a gladiadora se recolhia, feliz por poder estar desfrutando dos cômodos do prédio luxuoso e assim ele ia até o encontro da funcionária e fechava a porta do quarto.

- Sr., o senhor Burltraske, o gerente, pediu para que tenha cuidado com quem anda trazendo para os Kazumis de Shinki. Avisa também que qualquer coisa que venha acontecer que venha a prejudicar Armagedons e Apocalipses, causado por essa pessoa, será de inteira responsabilidade sua e assim será punido de igual forma. No mais, aqui está a recompensa pela missão. Desde já uma boa tarde.

A empregada trazia um aviso sério para Chris. Caso Blue pisasse na bola, descobrisse algo e falasse para alguém, o jovem Arruaceiro teria o seu destino traçado para ser caçado por Jack, o perseguidor dos exilados Armagedons, por isso teria que tomar cuidado com o que fazia e com Blue. Embora fosse difícil admitir, a gladiadora o ajudou na missão, mesmo sem saber e isso fez com que o jovem recebesse um envelope cor-de-madeira, no qual tinha dentro um valor em dinheiro.


834 EXP para Rhyhorn
Subiu dois leveis

834 EXP para Azurill
Subiu dois leveis
Pode aprender Charm, mas já possui o limite de moves. Deseja substituir?
Pode evoluir, você deseja que ele evolua nessa rota?

834 EXP para Krabby
Subiu dois leveis
Aprendeu Bubblebeam

+1000$

::Ficha Atualizada::

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 07| Entre os muros de pedra

Mensagem por Chris Storm em Sex 10 Out 2014, 20:07


OFF1: Não evoluir ainda, aprender Charm no lugar de Splash.


Chris entendeu bem o aviso da garota, que o presentou com um dinheiro pelo êxito na busca. Com uma expressão séria no rosto, o rapaz se sentou na cama enquanto ouvia o único barulho relevante do cômodo: o da água caindo do chuveiro. Blue é sua responsabilidade e, por mais que ele tente adiar, chegará o dia em que a verdade virá à tona. Quando esse dia chegar e, se a garota não aceitar se juntar a revolução, ele não terá outra opção senão matá-la. Seu olho focou na porta do cômodo e um pensamento veio a sua mente: aproveitar que ela está ocupada para ir embora dali... Mas logo se convenceu a não fugir do problema, ainda mais depois dela tê-lo ajudado mesmo que de forma inconsciente.

Deitou-se na cama, olhando para o lustre no teto. Metia-se cada veza mais em uma enrolada difícil de desfazer. Terá que mostrar de alguma maneira a gladiadora o quanto os cadetes e o Estado são podres e como o mundo necessita de uma revolução, que os gangsters não são os vilões que a mídia pinta, mas sim aqueles que lutam pela sociedade ideal.

O banho da morena durou uns quarenta minutos. Quando saiu enrolada em uma toalha branca, foi a vez do gangster se aproveitar da mordomia, tirando a roupa que roubara do doutor e se enfiando de baixo do chuveiro. Até pensou em se banhar na convidativa banheira branca de porcelana, mas optou pelo chuveiro quente, que seria mais rápido e permitiria que ele voltasse para o quarto para ficar de olho na sua acompanhante. Enquanto se molhava, retirou o ovo de sua mochila e, sentado no chão, aproveitou-se para passar um pano quente sobre ele enquanto a água caia sobre suas costas.

Cerca de trinta minutos depois, saiu do banheiro trajando um pijama de listas azuis e brancas e com a bolsa nas costas. Resolveu levar consigo o disfarce de médico, vai que precisasse dele algum dia. Depois anunciou para Blue que dormiria no chão e que ela poderia ficar com a cama. Apesar dos protestos da garota, foi isso que acabou acontecendo no final da noite. Cansados, o casal não demorou a cair no sono.

No outro dia levantaram cedo, com o céu ainda na cor cinza. O sinal da porta tocou e uma empregada do hotel trouxe uma bandeja com o café da manhã para eles e para os seus pokémon. Demorou quase uma hora para que todos enchessem o bucho, o tempo de Azurill e o Houndour fazerem uma bagunça no quarto.

Enquanto comiam, o gangster recebeu uma mensagem no celular. Ninguém a assinou, mas, pelo conteúdo da mensagem, só poderia ser dos gangsters. A mensagem dizia para que ele fosse até a Estação buscar um presente para ele. Pelo visto, a premiação não ficara somente no dinheiro. Assim, após o café-da-manhã o casal se despediu do hotel, partindo pelas ruas de Chermont.



off:

Acabei adiantando essa parte do hotel logo, narrando a noite e o amanhecer. Se não puder ou tivesse alguns planos pra acontecimentos no hotel, fale que eu edito. A mensagem foi referente aos prêmios da loja do incentivo, pra o personagem não ir lá do nada xD

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 07| Entre os muros de pedra

Mensagem por Ayzen em Seg 13 Out 2014, 08:19

Off: Sem problemas! ^^

Chris adentrava no quarto com o pensamento de que Blue era sua responsabilidade. De fato os gangsteres não se importavam que os componentes de sua equipe trouxessem pessoas desconhecidas para ali, desde que isso não significasse algum prejuízo para a organização como um todo. Assim, se Chris não quisesse a sua cabeça a prêmio e sendo caçada pelo Jack, o rapaz teria que se esforçar para manter Blue bem oculta. Mesmo assim, o Arruaceiro sabia que chegaria um dia que ela saberia de tudo o que acontece e quando isso acontecer, Chris teria que providenciar que ela não conte para ninguém...

O jovem adentrava no quarto e pensava em sua vida, olhando para o lustre do quarto. O jovem parecia saber que a vida que ele escolheu era difícil, mas alguns sacrifícios eram necessários para o bem maior. Blue saia do banheiro, dando lugar para o jovem, que começava o seu banho, dando um pouco de aconchego para o seu Egg Pokémon. O jovem observava o Egg que parecia um mistério ainda para ele. Ao sair, deparava-se com uma pequena briga para que Blue dormisse na gigante cama de casal, enquanto ele ficava no chão.

A noite passou tranquilamente, confortante com todo o cômodo que Kazumi oferecia. Ali os jovens dormiram feitos bebês, até o outro dia. Eles se levantaram e assim foram se deliciar com o café da manhã que uma das empregadas levaram para com eles e assim os mesmos logo deixaram o hotel, sob uma mensagem que levava o jovem Gangster para aparentemente uma nova recompensa. Deixando o
quarto confortável do hotel, Chris e Blue desceram as escadas e deixaram o Hotel, mas ao longe o gerente acenava com a cabeça para Chris, com um olhar sério.

Os dois andavam pelas ruas de Chermont City. Parecia que todos nas ruas comentavam sobre a ação Gangster no Hospital ou sobre o bebê de Angélica que havia nascido. Parecia que o humor das pessoas daquela cidade não mudava, mesmo em um dia lindo de Sol como aquele, onde as flores lutavam para se abrirem e o calor aconchegavam todos depois dos últimos dias de frio. Chris ia com Blue até a grande estação de trem e logo ao entrar via a movimentação de pessoas que pareciam enorme. Todos atarefados e que de hora por outra uma massa de gente passava arrastando o casal.

Depois de tanto movimento ali, o jovem Arruaceiro conseguia chegar até um balcão circular, onde um atendente de uniforme e um humor aparentemente pior do que o dos habitantes da cidade estava trabalhando. Ele olhava sem emoções para o lado e parecia que não estava muito bem de saúde, já que sua pele era um pouco esverdeado e tinha orelheiras profundas, fora uma reação um pouco lenta.

- Posso ajudar?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 07| Entre os muros de pedra

Mensagem por Chris Storm em Ter 14 Out 2014, 21:54

Os dois seguiram pelas ruas agitadas de Chermont rumo à estação. Para a sorte do gangster, o nascimento da filha da Angélica abafava a confusão que ele causou ontem no hospital. Ao menos era o que se percebia ao ouvir as conversas dos moradores que seguiam apressados para os seus empregos, casas, etc.

A estação não poderia deixar de ser diferente, com pessoas empurrando eles para todos os lados e uma barulheira de gente conversando coisas que não dava para identificar. No fim, chegaram até um balcão em que Chris deu de cara com um homem. Ele explicara o que viera fazer antes para a garota, que aguardava ele pegar “a encomenda que chegaria para o homem desmemoriado, mas que ele poderia ficar com ela, como forma de agradecimento da mãe do sujeito”.

– Ah sim, poderia pegar a encomenda que chegou para esse nome aqui. – Pegou uma caneta azul do bolso de sua jaqueta e escreveu o seu nome em um papel que encontrou espalhado pela mesa, entregando-o ao homem.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 07| Entre os muros de pedra

Mensagem por Ayzen em Qua 15 Out 2014, 12:51

Após passar por alguns apertos na estação, Chris e Blue chegavam até a estação de trem, na qual ele encontrava um recepcionista bem mal-humorado, com olheiras e que não estava muito bem para atender as pessoas com alegria. Mesmo assim, o Arruaceiro ignorava e assim pegava um papel e escrevia o seu nome, dando mais uma desculpa para Blue, afinal, a garota não o conhecia pelo verdadeiro nome. Na verdade, a maioria das coisas que Blue conhecia de seu dito Jordan, eram mentiras.

Chris não demorou em escrever e entregar para o jovem o pedido e assim ele lia e pegava uma cesta com alguns itens dentro. O Armagedon pegava e os guardavam e quando ele olhava para Blue, vê que atrás dele há dois cadetes andando pela estação, patrulhando ali. Com noticias mais importantes ou não, o jovem percebia que os cadetes não haviam esquecido o que ele havia feito e não demoraria em encontrar confusão ali mesmo na estação.

- E então, Jordan, o que você encontrou ai? – perguntava a menina revistando as coisas. – Olha, uma Tm! – dizia maravilhada. – Vem cá, você acha que eu devia desafiar o Ministro da Confusão agora ou eu espero mais um pouco? – perguntava a garota...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 07| Entre os muros de pedra

Mensagem por Chris Storm em Qua 15 Out 2014, 22:14

Suas características físicas não eram nada comuns, o que significa que não seria muito difícil encontrá-lo por ai. Foi isso que pensou quando viu dois sujeitos trajando o uniforme de cadete vagando pela estação, entrando em desespero. Tudo que não quer no momento é se meter em novas confusões.

Ao lado de Blue, guardou rapidamente os objetos que lhe foram entregues na mochila. Não ouviu muito bem o que a garota lhe perguntou, só se lembra de algo como desafiar um sujeito qualquer... essas coisas de gladiador.

– Eer... Acho melhor que você treine um pouco mais, não acha? – Murmurou, escondendo-se atrás da garota de forma discreta. – Você já ouviu falar em Silent City? Ouvi falar que fica perto daqui, ao leste da cidade. Podemos dar uma conferida e aproveitarmos para aprimorar nossas habilidades. – Sugeriu. Qualquer coisa para sair dali, dar um tempo daquela cidade.

O gangster começou a caminhar no meio da agitação de pessoas sendo acompanhado da morena. A proposta meio que não parecia uma proposta de verdade, mas sim um anúncio de qual seria o próximo destino deles. Blue não achou de todo ruim, seria uma boa oportunidade para treinar um pouco, mesmo que nunca tenha ouvido falar boa coisa daquele lugar. Já o gangster só pensava no fato de ser um lugar isolado, sem muita movimentação e cadetes.

– Blue, por que não aproveitamos para comprar algumas pokéballs? Acho que o mercado fica perto daqui, você poderia comprar duas delas para mim? Aqui está o dinheiro, acho que é esse o valor. – Entregou 500Pk$ a garota. – Caso você não tenha, posso lhe emprestar uma delas depois. Eu tenho algumas, mas fica como reserva para o caso de algum de nós precisarmos dela depois. Eu não estou passando muito bem, acho que foi o café-da-manhã, sabe como é né, não estou acostumado com coisa boa. – Sorriu. – To pensando em procurar um banheiro público enquanto você vai até lá. Acho que vi um aqui pertinho. – Despistou.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 07| Entre os muros de pedra

Mensagem por Ayzen em Qui 16 Out 2014, 11:48

Ao vê os dois cadetes patrulhando aquela área, Chris soube que poderia ser um mau sinal para poder ficar ali e encontrar mais confusões, ainda mais com Blue ao lado. O jovem logo tentou guiar a garota para longe dos homens da lei e assim saia aos poucos da estação de Trem, deixando os cadetes para trás, assim como a confusão. Infelizmente o braço do rapaz não estava ainda 100%, o que implicaria muito desconforto em lutar e tentar explicar a situação para a sua parceira. Ambos saiam dali e Chris dava a sua opinião, que parecia mais um anúncio que ambos sairiam da cidade.

Blue achou uma ótima ideia treinar em Silent city, mesmo sabendo dos boatos do lugar. Chris, na verdade, queria mais um lugar que não fosse povoado pelos homens fardados e assim conseguia sair da Estação sob a desculpa de que o café não lhe caiu bem. A morena tentou ajudar, mas chegou à conclusão que era uma questão que apenas “Jordan” e um banheiro poderiam se entender. Pegando o dinheiro do rapaz para comprar as esferas, a morena voltava a caminhar para o centro da cidade, enquanto Chris ia para um banheiro público, que ficava ali perto.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 07| Entre os muros de pedra

Mensagem por Chris Storm em Sex 17 Out 2014, 03:40

Chris conseguiu despistar Blue, esperando que a mesma conseguisse comprar os itens que pedira. Não sabe que pokémons pode encontrar saindo daquela cidade, logo pokébolas, apesar de caras, são itens necessários. Ainda mais porque o ovo pokémon que carrega pode chocar a qualquer momento e ele precisará de uma destas para ficar com o bebê.

O ruivo fingiu que foi na direção oposta da gladiadora, porém, quando esta sumiu de sua vista, o mesmo se virou e começou a seguir lentamente em sua direção, seguindo-a sem ser notado. Algo, porém, chamou sua atenção, trazendo novamente o desespero à tona.

Movia-se sorrateiramente se escondendo sempre em algum beco, atrás de algum poste ou container de lixo quando deu de cara com um cartaz que trazia impresso um desenho parecido com ele. Ao ver o nome “Jordan Snow” teve certeza do que se tratava, agora ele está na grande lista dos procurados do continente! O gangster engoliu em seco enquanto o mundo rodava em sua cabeça como se tivesse ingerido alguma bebida alcoólica. Olhou em volta, vendo, como de costume, vários moradores passando de lá para cá, comprando algum jornal ou lanche, falando no celular... Mas, dessa vez, a sensação é de que todos estão olhando para ele, que vão reconhecê-lo e denunciar para os cadetes.

“Aquela mulher com o carrinho de bebê ta olhando para cá... Ali... aquele cara falando no celular. Será que...?”i Pensou, virando a cara rapidamente. Teria que sair daquela cidade o mais breve possível, ao menos até a poeira baixar em relação a seu “crime” e novos escândalos tomarem seu lugar na memória dos chermontenses.

“BLUE!” A imagem da garota veio em sua mente como um flash, fazendo-o arregalar seu único olho. Sentiu seu coração acelerar e um gosto amargo na boca e, decidido a não perder mais tempo, apressou seu passo na direção do mercado. Irá monitorar os passos da gladiadora, se certificar de que ela não tenha acesso ao cartaz e tirá-la o mais brevemente daquela cidade.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 07| Entre os muros de pedra

Mensagem por Ayzen em Sex 17 Out 2014, 15:17

Chris conseguia se separar de Blue mais uma vez, além de usar a morena para poder comprar as esferas que queria. O jovem rapaz saia ao encontro da menina, ficando bem distante da mesma, vendo-a entrar no mercado, mas o que mais surpreendeu o rapaz foi encontrar um cartaz com o desenho de alguém muito parecido com ele, mas só percebeu que era ele ao ler o nome escrito “Jordan Snow”. Agora o Arruaceiro era caçado e a sua cabeça valia uma boa recompensa. O rapaz entrou em desespero! Ter seu rosto estampada para que toda Chermont City o vesse era demais para o Gangster. Ele poderia ser pego por qualquer um.

Entrando em um pouco de desespero, Chris se exaltava e começava desconfiar de todo. Tinha que providenciar que Blue não visse a sua cara e assim foi de encontro da menina, aguardando que ela saísse do mercado. Os pensamentos e a preocupação assolava o jovem. Para ele, todos estavam olhando, procurando. A paranoia foi tanta que ele mal percebia que tinha deixado de prestar a atenção na loja.

- Jordan! – a voz não lhe foi familiar e o jovem ficara pálido, pronto para puxar uma esfera e lançar um monstrinho. Mas ao virá, se deparava com a cara confusa de Blue, que olhava com duas esferas bicolores na mão. – Você está bem? Parece preocupado com alguém... – notava a morena. – Você ainda está passando mal? Acho melhor irmos ao médico, pois desse jeito não vai dá muito certo.

A jovem dava as esferas para o Armagedon e em seguida o puxava pelas ruas, em direção do hospital, que há essa hora já deve estar funcionando normalmente. Mas se o garoto fosse até lá, com certeza alguém conseguiria o identificar e ele seria levado direto para a boca do leão de Chermont: Kibato, na delegacia.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 07| Entre os muros de pedra

Mensagem por Chris Storm em Dom 19 Out 2014, 01:42

O desespero do gangster foi interrompido pela voz da garota que procurava, esta que conseguiu realizar sua “missão” com eficiência, entregando-lhe as esferas que fora “encarregada” de comprar. Percebendo o desespero do rapaz, Blue começou a conduzi-lo rumo ao hospital, mas este logo tratou de deter os seus passos. Pelo visto, a gladiadora ainda não viu o seu rosto nos anúncios, o que era bom... mas ele sabe que não pode nem passar pela frente do Hospital ou estará se jogando automaticamente atrás das grades.

– Não, não... Estou bem, Blue. – Disse, tentando voltar a si. – Não vamos perder tempo indo ao hospital por besteira. Melhor nos apressarmos e ir para a rota ao leste, não acha? – Sugeriu, já direcionando os dois para o caminho almejado. – Temos que aproveitar que ainda é cedo para que não sigamos viagem durante a noite. – Disse, tentando justificar seus passos apressados.

Seguia com a cabeça baixa, tentando evitar de olhar para qualquer um que passasse, concentrando-se apenas no caminho que teria que pegar até chegar a rota 18.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 07| Entre os muros de pedra

Mensagem por Ayzen em Dom 19 Out 2014, 23:30

Impedindo que Blue o levasse para o Hospital, local onde certamente o identificariam e acabaria sendo preso, o jovem freava e assim explicava melhor para a jovem sobre o acontecido, de que estava bem e precisava partir. Blue olhou curiosa para o dito Jordan, mas mesmo ela parecia convicta que o Armagedon não estava bem, mas de fato a preocupação ficava rodeando a sua mente. A gladiador deixou de lutar contra o jovem, mas queria que ele consultasse algum médico e assim deixou o lugar para ir com o rapaz a procura da rota 18.

Os dois seguiram pela manhã do local, que estava calma, diferente do dia anterior, cujo caos causado por Chris chamou a atenção de metade da cidade. No caminho para fora da rota, algumas pessoas comentavam sobre o bebê na Angélica, Layla e outros comentavam sobre o fato de Zuzu, ministro do ouro, estar chegando à cidade, trazendo um item que poucos conheciam a origem. As pessoas de mal humor passavam e se esbarravam no casal, até que finalmente a estrada de pedras regulares levou os dois para a saída da grande Chermont.

Chris queria se refugiar e quando a poeira abaixasse estaria de volta. Blue queria treinador, ficar mais forte. A gladiadora queria viver a sua vida, junto de seu parceiro. Ele, bem, tinha uma revolução para auxiliar e teria que contar com Blue, mesmo que ela não soubesse a sua identidade real. Com pensamentos diferentes, a dupla deixava a cidade de pedras e seguia para a rota 18.


Adorei, mais uma vez, te narrar. Espero que nos esbarremos por ai de novo ;)

:: Ficha e Cartão atualizados ::

Pokémon do player e parceiras 100% bem
Tempo decorrido, 1 dia.
Braço engessado, deve permanecer ainda 4 dias.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 07| Entre os muros de pedra

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 4 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum