Eu, Serena, e o pseudo-cadete: Rota 1, lá vamos nós!

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Eu, Serena, e o pseudo-cadete: Rota 1, lá vamos nós!

Mensagem por Sakura Mille em Ter 21 Jan 2014, 21:11




♥ Eu, Serena, e o pseudo-cadete: Rota 1, lá vamos nós!


Pela primeira vez em toda a minha existência, ou pelo menos, desde quando eu tive entendimento como gente, eu sentir-me sem um peso pelas costas. Intendia perfeitamente como era ser um pouco do estilo Ethan: despojado, despreocupado e desiludido. Pensando aquilo, estava sentindo uma energia dentro de mim que me motivava a seguir em frente e correr por todos os lados. Não sabia para onde eu iria, mas sabia que o vento me levaria. E se tivesse que culpar alguém, culparia as estrelas, que como representante do Universo, era quem lançava as pedras contra mim.

Meus cabelos se balançavam naquela manhã, guiados pelo vento da natureza. Viajar a pé era totalmente diferente de viajar dentro de um carro fechado e totalmente protegido do ambiente que nos aguardava. A viajem era ainda menos interessante se fosse de negócios, que era o único motivo que levaria o meu pai a chamar para viajar com ele. Agora, estava voando livre, para um lugar no qual eu iria disfrutar cada momento.

As folhas límpidas de Serena me deixava ainda mais animada, sendo possível ver o meu próprio reflexo nela, destorcido de forma convexa. Respirei aquele ar puro, mais uma vez. Parecia que era a terceira inspiração densa desde que cheguei naquele pedaço de terra. Segui ao lado do pseudo-cadete e assim voltava a lembrar de tudo.

As várias faces de Ethan vinham em minha mente, mas agora, apenas a face despojada e bem animada, senão, inocente, era vista sobre a posse do corpo do ruivo. Eu sentia que o enigma de quem era Ethan estava passando por algumas dificuldades. Pouca coisa verídica e comprovada sabia dele, o resto era especulações, então, era hora de anotar na minha lista mais sobre ele.

- E então? Vamos para as perguntas! – dizia com a cara alegre e totalmente animada com o fato de finalmente estarmos sozinhos para poder começar a entrevista “ a la Pokénews” . – Primeiro e atualmente mais importante: Por que saiu de Nyender City daquele jeito? Está correndo de alguém? Quem? Seu nome completo, local de nascimento, criação, nome dos seus pais, como conseguiu o primeiro Pokémon, e se caso Alicia não tenha haver com o seu Jolteon, fale como conseguiu. – respirava depois de falar tantas coisas de modo tão rápido e continuava a caminhar.  


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eu, Serena, e o pseudo-cadete: Rota 1, lá vamos nós!

Mensagem por Alice em Qua 22 Jan 2014, 01:47

e lá vamos nós ;D
quando quiser que Sakura escreva algo na ficha de Ethan, é só falar o que e em que parte ^^


Sakura caminhava calmamente pela rota 1 ao lado de Ethan e com Serena nos braços. A folha brilhante refletia sua face e o perfume natural lhe alegrava. A leveza que sentia não poderia ser descrita e, pela primeira vez, Sakura realmente se sentia livre. Refletindo um pouco, a garota notava que se sentia como Ethan agia na maioria das vezes.

A brisa suave que corria a rota balançava o cabelo de Sakura. A grama sob seus pés era reconfortante. A rota que cansou de atravessar dentro de um carro, parecia completamente diferente no momento. Com cuidado, a morena retirou uma mexa de cabelo que lhe atrapalhava a visão e cuidadosamente colocou-a atrás da orelha após inspirar pela terceira vez o perfume de sua pokémon. Com o canto do olho, a Stylist mirou o falso cadete ao seu lado. O ar jovial e inocente dele lhe lembravam que ele ainda era um completo mistério para ela. Nem mesmo o nome completo do ruivo ela sabia. Decidida, Sakura se virou para Ethan, o parou no meio da rota e com o melhor tom Mrs. Pokénews, começou a interrogar o homem.

- Nossa lindinha, por que tanta pergunta de repente? Respirar é importante, então relaxa.

Sem responder nenhuma das perguntas e sem dar tempo para Sakura reafirmá-las, o ruivo a puxou pela mão mais uma vez. Sakura já estava tão familiarizada com a situação que não resistiu. Próximo de uma árvore, o gangster empurrou os ombros da morena para o chão, forçando-a a se sentar na grama.

- Fique ai, fazendo o que Stylist fazem, conhecendo seus pokémons, fazendo coroa de flores pra eles, respirando... Eu vou dar uma estudada em campo e já volto.

O olhar sério retornava às feições do ruivo e ele sumia em direção à Nyender. Mille pensou em se erguer, porém Serena já erguia a primeira flor. Pelo visto a ideia de uma coroa de flores agradava a pokémon folha. Ethan sumia de vista por alguns momentos e Sakura continuava sem resposta para suas perguntas. Pelo menos, ao olhar pra cima, a garota reparou em algumas Oran Berries.


sorteio

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eu, Serena, e o pseudo-cadete: Rota 1, lá vamos nós!

Mensagem por Sakura Mille em Qua 22 Jan 2014, 14:01




♥ Eu, Serena, e o pseudo-cadete: Rota 1, lá vamos nós!


Ethan mais uma vez driblava o universo, querendo se esgueirar das minhas perguntas. Se alguém deveria fazê-las, esse alguém era eu, então por que o Universo não cooperava? Diante de tais fatos, não tive outra escolha a não ser ver o ruivo se distanciar em direção a cidade, enquanto ficava ali observando Serena, que adorou a ideia que Ethan deu de catar flores.

Serena é do tipo Grass, então tal atitude dela não surpreendeu e eu até fiquei contente de estar ali, embora ainda quisesse saber as respostas das perguntas que havia perguntado, principalmente a primeira. Se Ethan estava correndo de alguém, possivelmente, esse alguém estaria atrás de mim, já que nos viu juntos. Seria um dos sobreviventes da batalha do beco?

Quando pensei nisso, olhei subitamente para todos os lados e, principalmente, para cima – vai saber, né? – encontrando várias berries, que estavam cobrindo a minha presença naquela área. Ao observar àquelas Oran Berries, não deu em outra e logo comecei a catá-las. Seria muito útil em minhas jornadas. Olhei para os lados mais uma vez, preocupada que possa aparecer algo.

Mas era só paranoia da minha cabeça! Ninguém estaria atrás de mim, eu acho. Olhei para a doce Serena. Esse hábito de ficar atenta as coisas começava a ficar bem repetitivo, levando em consideração minha atual condição. Não se pode andar com um gangster e esperar que tudo dê certo, mesmo este gangster estando disfarçado de cadete.

Vendo que a rota estava vazia, eu ergo uma das minhas esferas bicolores ao alto. Um raio escarlate surgia e assim dançava em campo, surgindo Isaac, com sua cauda que mexia de um lado para o outro. O felino olhava-me e em seguida pós a correr por volta da sua cauda, até avistar Serena e assim foi ajudá-la a colher as flores.

Sorrir dos dois. Mal se conheciam e estavam se dando bem. Mas aquela brincadeira dos dois me deu um soninho e assim eu comecei a fraquejar, até cair ao lado da árvore, e dormindo. Não sei bem se era um sono, afinal, ainda houve os sons de Serena e Isaac brincando...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eu, Serena, e o pseudo-cadete: Rota 1, lá vamos nós!

Mensagem por Alice em Sex 24 Jan 2014, 19:25

Com as oran berrys guardadas em sua bolsa, tentando se convencer de que estava sendo paranoica ao imaginar que alguém a estaria perseguindo e vendo Isaac e Serena brincarem, Sakura sentiu seus olhos pesarem. Quando menos percebeu, a Stylist adormeceu por completo. O som de seus pokémons e a brisa da rota 1 eram um convite que não pode ser negado.

Algumas horas depois, um barulho desperta a morena de seu sono. Os olhos pesavam enquanto a jovem mirava os arredores, tentando descobrir a fonte do ruído. O cabelo estava bagunçado e tinha folhas de grama presas por todo canto. Sua roupa estava em desalinho também. Por quanto tempo dormira? Ao olhar para o céu e se deparar com estrelas, concluíra que foi por tempo demais.

Outro ruído. Sakura virou rápido sua cabeça e deu de cara com um Zigzagoon. O pokémon estava com uma aspear berry na boca e, antes que a morena pudesse entender o que ele fazia, o pokémon normal fugia. As mãos de Sakura foram até seus olhos, esfregando-os e tentando espantar o sono de vez. Mais desperta, a morena pode notar o brilho de uma fogueira, onde um pedaço de carne se mantinha aquecido, apesar de estar longe o suficiente para não queimar. Perto do fogo, uma folha com os restos de Aspear Berry deixados pelo Zigzagoon ladrão. Isaac dormia perto do local do crime, mas não despertou. O felino rosado dormia de barriga para cima e estava tão claramente inchado que, caso se virasse de barriga para baixo, suas patas não alcançariam o solo.

Mille se sentou, esticando o braço dormente sobre o qual dormira. Com o movimento, Serena acabou despertando. Só neste momento a Stylist reparou que sua pokémon dormia junto de si e de Lotad. Enquanto Serena bocejava, tentando entender o que despertara sua mestra, o pokémon de Ethan seguia procurando sua paixão sem nem ao menos abrir os olhos. Ao encontrar Serena, Lotad se aconchegou e voltou a dormir. Chikorita olhou para ele e revirou os olhos, logo voltando sua atenção sonolenta para Sakura, ainda questionando-a sobre o despertar repentino.

A morena olhou para os lados, ainda mapeando a região. Outro movimento chamou sua atenção. Era o Meowth de Ethan, sentado sobre a barriga do ruivo e limpando sua pata. O gato do gangster parecia ter comido tanto quanto seu felino ou até mais, a julgar pela barriga proeminente. Ethan devia cozinhar bem na opinião dos gatos... Entretanto o ruído insistente que acordou Sakura ainda não foi localizado e a morena começava a ficar intrigada. Mirando Ethan mais uma vez, ela percebeu que ele dormia com os braços cruzados sob a cabeça. Os tênis estavam caídos por perto e o cabelo bagunçado lhe atribuía um ar jovial e inocente, condizente com a respiração tranquila e serena. Contudo, após prestar um pouco mais atenção no gangster, a morena notou que ele roncava sem um travesseiro, destruindo por vez qualquer atrativo que ele poderia ter ao dormir.

Após o cochilo:


Chokorita/Serena
100%
Status: Normal


Skitty/Isaac
100%
Status: Normal


Purrloin
15%
Status: Normal


Glameow
15%
Status: Normal


Smeargle
15%
Status: Normal

Todos os pokémons do parceiro estão 100% e Status normal.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eu, Serena, e o pseudo-cadete: Rota 1, lá vamos nós!

Mensagem por Sakura Mille em Sex 24 Jan 2014, 22:34




♥ Eu, Serena, e o pseudo-cadete: Rota 1, lá vamos nós!


Os olhos pesavam enquanto um grande sono me abatia. Serena e Isaac pareciam se divertirem em meio a rota 1 e assim eu sentia que tudo conspirava para que eu apagasse ali. Levando isso em consideração, a doce e leve brisa abatia os meus cabelos, lançando-os um pouco para trás. Os meus olhos eram entregues ao desejo e assim adormecia em plena rota 1.

Meu corpo deitava a grama macia. Os barulhos dos meus Pokémon ficavam cada vez mais baixos. Eu sentia que era hora de descansar um pouco. Era estranho como o simples fato de não ter que carregar o mundo nas costas me deixava mais leve e, consequentemente, mais sonolenta. E Ethan?! Ainda pensei em levantar e esperar o ruivo, mas quando tentei tomar coragem, apagava ali mesmo.

“Seguindo em direção à uma luz e assim retornava ao meu lar. A sala de entrada se transfigurava na minha frente, na qual estava um sofá cor salmão, o preferido da mamãe, e lá estava a poltrona cor de madeira, a preferida do papai. Não demorava muito e eles se transfiguravam em seus lugares. Papai lendo o seu jornal, pela oitava vez ao dia e mamãe tricotando sem tirar os olhos da linha.
Eu dei dois passos, aproximando-se deles e logo a minha mãe fitou-me. Seu olhar era frio e gélido, parecendo que havia tocado a morte a poucos instantes. Meu coração saltou, mas eu não conseguia me mover, nem falar nada. Queria pergunta-la se estava tudo bem, mas não conseguia emitir nenhum som. Ao lado, pai lia o jornal. Tentei chamar a sua atenção, para perguntar o que estava acontecendo, mas assim eu o vi, lá estava a mesma expressão. Fechei os meus olhos, mas continuava vendo-os. Era estranho, tudo estava embaçado, mas ainda via-os olhar. Respirei fundo e olhei para frente, fitando o jornal que estava de posse ao homem sério e foi como havia previsto: não conseguia lê-lo, mesmo em uma distância considerável. Era um sonho!”

Levantei-me da grama, esfregava os meus olhos e assim tentava focar cada parte ali. Estava já de noite e eu tentava compreender o motivo de ter passado tanto tempo dormindo. Era só um cochilo... Ali eu via Serena se erguendo, ao lado do Lotad de Ethan. Por falar no ruivo, ali estava ele dormindo. Parecia que havia alimentado todos.

Levantei-me e dei alguns passos para frente, admirando o céu. Serena terminava de se erguer e me acompanhava, deixando Lotad dormindo em paz. O céu era imenso e ali estava as mais variadas constelações. Nunca de meu quarto, por melhor que fosse o meu telescópio, poderia admirar tanto elas como naquele momento. Era um contato direto, até parecia que poderia tocar naquela luz que vinha a mais de milhões de quilômetros daqui.

- Lindo, não é? – dizia para a Pokémon Grass, que confirmava o espetáculo com um balançar da cabeça.



Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eu, Serena, e o pseudo-cadete: Rota 1, lá vamos nós!

Mensagem por Alice em Seg 27 Jan 2014, 13:15

Sakura despertava e se erguia. Enquanto caminhava, espreguiçava os braços, sentindo os relaxantes efeitos. Cada músculo parecia ficar leve após ser esticado e a garota suspirava feliz. Se sentia livre e tranquila, como nunca se sentira antes. Serena, a fiel companheira, também se espreguiçava e se juntava à Stylist, admirando as estrelas que brilhavam como nunca no meio selvagem, sem precisar competir com prédios, luzes da cidade ou poluição. Na Rota 1 elas eram toda fonte de luz (se não fosse a fogueira de Ethan) e compensavam iluminando muito bem o ambiente.

- Lindo, não é? – dizia para a Pokémon Grass, que confirmava o espetáculo com um balançar da cabeça.

Serena admirava as estrelas desconhecidas. Para a pokémon Grass, eram somente estrelas. Nunca alguém lhe falou de suas constelações ou das histórias antigas sobre elas. No entanto isso não diminuía sua beleza para a Chikorita.

- Melhor dormir mais um pouco lindinha. - A voz sonolenta de Ethan atingia os ouvidos de Sakura e, ao olhar para trás, Mille se viu mirada pelo olhar verde e ainda nublado de sono. - Arbok ainda não está nem perto do ápice. Falta muito para amanhecer. - Encerrava com um bocejo, fechando os olhos mais uma vez.

Sakura sabia que o Gangster ainda não tinha dormido, já que ele ainda não voltou a roncar, mas estava muito impressionada. Seus olhos se voltaram para o céu escuro e a jovem localizou a constelação de Arbok após alguns instantes. A serpente mostrava suas presas, imponente em sua região. Algumas lendas diziam que a constelação da serpente representava o infinito... Como Ethan localizou a constelação tão rápido e praticamente dormindo? Conhecimento astrofísico não era algo que a morena esperasse do ruivo, porém fazia sentido ele saber se localizar pelas estrelas... A Stylist olhou de novo para a constelação. Realmente estava longe de seu ápice, o que indicava que o amanhecer estava longe ainda.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eu, Serena, e o pseudo-cadete: Rota 1, lá vamos nós!

Mensagem por Sakura Mille em Seg 27 Jan 2014, 14:41




♥ Eu, Serena, e o pseudo-cadete: Rota 1, lá vamos nós!


As estrelas conversavam com a humanidade desde tempos remotos. Muitos dizem que as formas das constelações são apenas projeções de nossas mentes, que analisam e tentam montar e assemelham com algo que nós conhecemos. Sendo isso ou obra do acaso, era lindo de se apreciar, até mesmo para uma Pokémon que nada sabia de astrofísica. Serena se desleitava sobre o mar de luzes e eu me sentia revigorada.

A voz de Ethan corria em meus ouvidos e surpresa fiquei ao notar que o jovem arruaceiro sabia sobre a constelação de Arbok, que fazia referência ao infinito. De fato era um jovem experiente e por isso eu sabia que ele poderia ser de um rank mais alto do que eu achava. Não era um arruaceiro! Era um jovem que viveu muito e andou por muitos lugares e para se orientar, apenas as constelações era preciso.

Sorri para Ethan, mas não deixei ele ver. Não sabia o porquê dessa minha ação, mas sabia que era preciso esconder aquela ponta de admiração pelo saber do ruivo. Gostava de conversar com pessoas intendidas e nunca iria adivinhar que o ruivo era uma delas.

Serena seguiu o meu olhar quando guiava o horizonte escuro, iluminado pelas estrelas. Me sentia tão viva, mas tão viva, que estava pronta para sair correndo por ali, vendo cada constelação e cada Pokémon que elas formam. Serena me olhou com uma cara, praticamente sabendo o que havia pensado e retrucando com uma cara de “sabe que horas são?”.

Eu nem quis discutir com a Pokémon. Sai correndo até Ethan e o terminava que acordar. O Gangster se erguia meio desnorteado e assim eu pegava Isaac no colo, com um pouco de esforço, e seguia para rota. O Pokémon nem se mexeu nos meus braços, continuando a dormir pesado, enquanto Ethan me perguntava o que era aquilo e Serena corria atrás de mim.

- Vamos! Não vai querer perder as estrelas, não é? Depois dormimos! – dizia com um sorriso bobo e animado na cara.

Parecia uma criança ao encontrar algo incrível pela primeira vez. O pior era que sabia como um todo tudo sobre aquelas constelações e nada seria novo para mim. Mas aquele sentimento me impulsionava na medida que saia querendo demonstrar ao universo que tudo estava indo bem. Ethan fazia esforço para me seguir, afinal, ainda estava banhado no sono. Coitado! Havia esquecido que ele não dormiu a tarde toda, mas ele supera isso...


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eu, Serena, e o pseudo-cadete: Rota 1, lá vamos nós!

Mensagem por Alice em Qui 30 Jan 2014, 12:19

A ponta de admiração que Sakura passava a sentir era facilmente escondida do ruivo sonolento que cada vez mais voltava a se entregar ao sono. Entretanto o Gangster não podia imaginar as ideias que passavam pela mente da Stylist até ser sacudido e desperto totalmente. De pé, Ethan não tinha muitas opções a não ser seguir a morena.

Mille avançava alegre, quase como uma criança feliz. A liberdade e a sensação de estar realmente viva eram fortes demais para serem controladas. Isaac em seu colo, por outro lado, nem despertava de seu sono. Lotad e Meowth já haviam sido recolhidos pelo ruivo. O felino não parecia feliz de ter sido jogado pra fora da barriga do gangster de forma abrupta e o pokémon grass ainda dormia demais para perceber o que estava acontecendo. Serena seguia Sakura em seu ritmo rápido e alegre, mas de vez em quando mirava Ethan, que seguia mais atrás entre bocejos e se espreguiçando.

- Você sabe que estou te achando totalmente louca, não é lindinha?

Sakura olhava para o ruivo sobre o ombro. Apesar do sono estampado em sua face, ele já tinha o olhar atento e um sorriso bobo estampado, deixando claro que a pergunta era somente uma brincadeira para irritá-la. O bom e velho Ethan. A carne assada que ficou para trás já era alvo de alguns pokémons selvagens e, em poucos minutos, desaparecia por completo. Serena olhava para Ethan mais uma vez, também sorrindo e, em seu olhar, a pokémon concordava com a pergunta afirmativa do ruivo.

A noite avançava e as estrelas brilhavam soberanas. Sakura reduzia a velocidade de seus passos e andava ao lado de Ethan, de forma mais tranquila. Serena a mirava e parecia saber o que Sakura queria, confirmando com a cabeça em uma ordem silenciosa para seguir em frente. Sonolento, talvez Ethan respondesse suas perguntas... Ou uma conversa sobre constelações para descobrir se o ruivo realmente entendia das estrelas?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eu, Serena, e o pseudo-cadete: Rota 1, lá vamos nós!

Mensagem por Sakura Mille em Qui 30 Jan 2014, 14:34




♥ Eu, Serena, e o pseudo-cadete: Rota 1, lá vamos nós!


A noite era mais feliz com a liberdade que havia adquirido a pouco tempo. Diante desse fato, estava totalmente animada para com o que o mundo aguardava para mim. Eu senti que era hora de prolongar a minha doce sensação de liberdade e me distrair sobre as luzes finas das estrelas no alto. Sorri alegremente com isso e logo percorria o campo com um olhar analítico, reparando cada constelação. Era diferente observar ao olho nu e observar com o meu telescópio.

Ethan seguia atrás, ainda embebedado de sono e assim o jovem continuava a tentar me irritar, mesmo sonolento. Olhava sobre o ombro, mas decidia ignorá-lo, afinal, eu realmente parecia uma louca, o que até Serena teria que concordar, como fez. Mas tudo aquilo era lindo e muito arrebatador. Qualquer um, vivendo sob as circunstâncias que vivi faria o mesmo. Era uma Swanna voando para a liberdade!

Mas tudo aquilo passava rapidamente, ao lembrar que ao lado estava o ruivo que outrora salvara a minha vida, e agora se demonstrava um exímio apreciador das estrelas. Entendi que havia pouco sobre ele que eu conhecia. Dando leves passos, logo ficava lado a lado do jovem Gangster e assim o universo martelava a minha cabeça para poder perguntar algo.

- Você sabe me dizer aonde se encontra outra constelação que é possível visualizar daqui? – perguntava ao Gangster.

De certo sabia a resposta, mas saber que Ethan sabia era mais animador. Talvez era essa a estratégia a se usar: perguntar sem deixar claro que aquilo era uma investigação! Serena percebera a minha intensão e assim ela sorria em de acordo ao meu método. Ela, tanto quanto eu, queria saber mais do ruivo. Continuei andando sobre a grama baixa.

- Aonde você aprendeu sobre as constelações? Talvez pudesse me ensinar, não é? – continuava a minha interação entre as pausas dos bocejos do jovem gangster.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eu, Serena, e o pseudo-cadete: Rota 1, lá vamos nós!

Mensagem por Alice em Dom 02 Fev 2014, 04:22

Um passeio na rota 1 sob as estrelas combinava perfeitamente com o sentimento de liberdade que mal conseguia se conter no coração de Sakura. Depois de uma vida regida pelas regras, era bom se sentir solta. Entretanto a curiosidade logo exigiu seu espaço na mente da Stylist, a lembrando que o ruivo ao seu lado ainda era um mistério a ser revelado. Após sondar por alguns instantes, a morena decidia tentar questioná-lo mais indiretamente, torcendo para obter melhores resultados. Serena concordava, também querendo saber mais do ruivo.

Ethan olhou para Sakura e, sob o sono, Sakura viu um pequeno vestígio de desconfiança. Depois de tudo, será que ele não confiava totalmente nela? Seria por isso que não lhe contava de seu passado? A informação mais importante a garota já tinha: ele era um Armagedon. Sakura já tinha poder para coloca-lo atrás das grades e ele já tinha poder para destruir a licença dela, caso outra pessoa descobrisse, mas mesmo assim estavam andando lado a lado na rota 1 e admirando estrelas. Os pensamentos de Sakura foram interrompidos pela risada do ruivo. O som era jovial e divertido, sem malícia e sem segundas intenções. Puro e sincero, como o de uma criança feliz. Um riso bonito que, se durasse muito tempo, despertaria o desejo de rir em quem ouvisse. Contagiante como outras características do gangster.

- Olha lindinha, acho difícil eu te ensinar algo que você não saiba. Mas de repente... - O ruivo se interrompeu olhando para o céu e analisando as estrelas. Nenhum sinal de desconfiança e nenhuma resposta sobre onde aprendeu sobre as constelações. - Vem comigo.

Um aperto no pulso já era algo esperado e logo o ruivo a puxava em direção a uma árvore próxima. O tronco e os galhos grossos convidavam para uma casa na árvore ou um balanço simples. Uma bela árvore pedindo para ser escalada por crianças felizes. Eles podiam passar por crianças felizes não é? Sakura refletia um pouco acariciando o tronco idoso, pensando nas histórias daquela árvore, quando ouviu o ruivo a chamando. Olhando para cima, a morena se deparou com a mão estendida de Ethan, a chamando para o topo. Pegando a mão, Sakura resolveu ceder e escalar. O kimono atrapalhava, mas com a ajuda do ruivo a garota chegou ao topo da árvore. Serena se equilibrava no ombro de Sakura enquanto Ethan cuidava para não deixar Isaac cair. Firme no galho mais alto, Mille se sentiu mais perto das estrelas, sem nem mesmo a sombra de uma árvore no horizonte.

- Olha lá.

O ruivo sentou-se atrás de Sakura, colocando a cabeça sobre seu ombro e apontando para uma estrela especifica. Ficou fácil achar qual constelação ele olhava com o rosto tão próximo. Sakura não sentia malicia. A voz e os gestos de Ethan eram singelos, como se realmente quisesse olhar aquela estrela em especial com a garota.

- Aquela é a chama do Charmander. Uma das minhas estrelas favoritas.


Serena também acompanhava a história, novamente acomodada no colo de Sakura ao lado do dorminhoco Isaac. O vento balançava os galhos, porém a morena se sentia estranhamente segura.

- Conhece a lenda do Charmander?

Sakura conhecia, mas preferiu sacudir a cabeça de forma negativa. Queria ouvir de Ethan e saber até onde ele sabia.

- Dizem que durante a grande guerra, Ho-Oh teve a ajuda de vários pokémons e um deles era um Charmander, que se achava pequeno e fraco. Porém um dia, esses pokémons perderam o Ho-Oh e a única luz que eles tinham para guiar eles era a Chama do Charmander. Mesmo assustado, o Charmander guiou todos e lutou. Ele descobriu que não importava seu tamanho ou sua força. Ele era especial e fez toda a diferença.

As palavras do ruivo flutuavam em sua mente. Sakura não sabia dizer se Ethan estava dizendo que ela era como o pequeno Charmander e, portanto, especial ou se ele estava lembrando do que alguém lhe falara no passado. Olhando sobre o ombro a garota notou o rosto do gangster próximo demais, porém a mente dele estava longe. Os olhos fixos nas estrelas. Serena, em seu colo, foi a primeira a lhe chamar a atenção, mostrando pesadas nuvens de chuva que começavam a surgir no horizonte. Um infortúnio no pleno sentido da palavra.


off: acho que me empolguei XD
não esquece de me passar as anotações para a ficha do Ethan e o post onde Sakura descobriu ^^
q dai vou adicionando ;D

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eu, Serena, e o pseudo-cadete: Rota 1, lá vamos nós!

Mensagem por Sakura Mille em Dom 02 Fev 2014, 22:15

Off: Um pouco xD
Off¹: Tudo que está lá é o que Sakura sabe XD
Off²: Também sabe que ele sabe sobre astronomia ^^



♥ Eu, Serena, e o pseudo-cadete: Rota 1, lá vamos nós!


De todas as coisas do mundo que eu fiz, nada era tão radical como o que havia feito esta semana. E olha que tudo parecia normal para o ruivo. A curiosidade de saber mais sobre o ruivo se apossava de mim e por isso eu parecia está devendo a mim mesma a descoberta do ruivo. Sabia que nada em mim era bom o bastante para interrogar o irritante ruivo, no entanto, poderia partir de uma abordagem menos ofensiva.

Ethan não quis me responder as outras perguntas, mas mesmo assim me guiava pelo campo gramado naquela linda noite. O sono não me perturbava mais e aos poucos eu percebia que nem Ethan sofria mais com os danos da noite. Isaac nem se movia, enquanto Serena estava bem energética ao meu lado.

Andávamos, ou melhor, era puxada por Ethan até uma vistosa árvore, que me convidava para poder abraça-la. Uma amante da natureza adoraria observar tal árvore, afinal, ela carregava histórias em sua idade e marcas em seu tronco eram bem formadas. Antes de mais nada, passei a minha mão pela madeira de seu tronco, sentindo aquela união de células que dava origem a forma mais complexa da vida, no entanto em um sistema mais simples.

Quando dava por mim, já estava escalando a grande árvore, tendo em meu ombro, a Pokémon Grass. Isaac era levado por Ethan e assim eu seguia o ruivo, folha por folha, até o topo da árvore. Senti que ali era um lugar seguro, apesar de toda a minha vida ter evitado tal ato de escalada, já que minha mãe e meu pai sempre foram muito protetores com a sua filha.

Serena era a primeira a se maravilhar com o gigantesco céu, que parecia querer que tocássemos nele. Eu sentia isso, apesar do medo estranho e sem fundamento. Serena tinha os seus olhos brilhando e sua folha, cujo brilho e odor sempre me encantou, refletia a negritude e o brilhos dos pequenos pontos de luz ao céu. Isaac ainda se sentia cheio, mesmo depois de toda essa escalada e assim dormia ainda sobre os braços de Ethan. O ruivo mostrava a mim a constelação da chama de Charmander, junto de sua linda, a qual já conhecia, mas decidi demonstrar surpresa.

Ethan não era um idiota. Ele era bem esperto, poderoso, um verdadeiro cavalheiro quando preciso, mas um idiota na maior parte do tempo. Mas certas coisas que ele faz, me impressionava. Ele era, de certo modo, alguém que me induziria a grandes coisas. Mas e eu? Teria algo para acrescentar na vida dele? Vida, esta, que eu desconhecia ainda.

Pensei em avançar mais um pouco, procurando uma resposta para uma das 101 perguntas que tinha catalogado, mas ao invés disso, eu logo via uma nuvem nimbus, conhecida por serem as mais próximas da litosfera e que carrega consigo uma verdadeira tempestade. Ethan, com certeza, tinha noção disso e ao apontar para a nuvem, o ruivo logo pós a descer da árvore.

- Ethan, árvores não são tão amigáveis durante uma tempestade, afinal, elas podem puxar raios. – dizia enquanto descia do tronco.

Estava já na metade do tronco e assim, tentava ao máximo me concentrar e não deixar Serena cair. Mas logo pisava em falso em um galho e assim começava a despencar como nunca do alto. Sorte minha foi que o ruivo me pegava ao chegar em baixo, como um príncipe pega a sua amada nos braços. Como um noivo leva a sua esposa para a sua primeira vez em sua casa.

Caia sobre os braços de Ethan, e Serena saltava para o chão. Involuntariamente os meus braços envolvia o pescoço másculo do ruivo e o alívio de não ter me ferido relaxou cada músculo meu. Não demorava muito nos braços de Ethan  e logo agradecia bem baixinho e distanciava-o de mim, não tão severa. Serena se aproximou com um olhar torto e bobo, parecendo que dizia “Ount!”. Reprendi com um olhar severo.

- Vamos! – fora a minha vez de segurar o pulso do ruivo e avançar pelo campo. Objetivo: procurar uma caverna.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eu, Serena, e o pseudo-cadete: Rota 1, lá vamos nós!

Mensagem por Alice em Qua 05 Fev 2014, 17:44

Sakura tentava ignorar os últimos acontecimentos e de como os braços do ruivo lhe protegeram da queda pensando em coisas mais práticas, como a sobrevivência. Entretanto o olhar de Serena lhe dizia que não seria tão simples assim se livrar de mais uma das inúmeras lembranças contraditórias que o gangster lhe presenteara.

O vento começava a ficar mais forte. O cabelo de Sakura voava de forma selvagem, assim como seu kimono. Por um momento a garota amaldiçoou a roupa que não lhe dava mais liberdade de movimento quando estava molhado, o que não demorou para acontecer com a chuva já começando. Os pingos eram grossos, mas ainda espaçados por um bom intervalo de tempo. Logo, entretanto, Sakura sabia que a tempestade seria implacável.

Com o passar do tempo e nenhuma caverna a vista, a morena começava a se desesperar. Não pretendia viajar na chuva, mas parecia que não teria muitas escolhas. O ruivo de repente parou, obrigando Sakura a parar também. A Stylist olhou confusa para o gangster que agora guiava o caminho em direção a algumas pedras. A parede poderia proteger do vento caso estivessem sentados, mas não da chuva. A garota estava a um passo de argumentar, quando viu o ruivo largar a mochila do chão e retirar o que parecia ser uma tenda de dentro dela. Ele parecia preparado para tudo aparentemente...

Isaac, que acordara de mau-humor por ter sido largado no chão quando Ethan socorreu Sakura de uma queda da árvore, reclamava da chuva, puxando a barra do kimono da garota. A barriga protuberante do gato havia reduzido de tamanho, mas os passos do felino ainda eram lentos. Em pouco tempo entretanto, Mille e seus pokémons puderam se abrigar na tenda erguida em tempo recorde possivelmente.

Aquecida no interior, a garota descansava sobre seu saco de dormir, com seus dois pokémons em seu colo. Pelo movimento do tecido, era possível imaginar a fúria do temporal do lado de fora. Demonstrando muita criatividade, o ruivo pegou uma pedra do lado de fora da tenda e colocou uma lata velha em cima da mesma. Sakura mirava confusa as ações de Ethan, porém logo agradeceu o que ele fazia. Após encher a lata com álcool, o ruivo ateou fogo, aquecendo o interior da tenda.

A situação era até que aconchegante. Seus pokémons em seu colo. O calor do fogo a aquecendo. O som e o cheiro da chuva invadindo o lugar e misturando-se às risadas de seus pokémons e ao perfume de Serena. Sakura sentia-se feliz. Até o pequeno Lillipup que invadira a tenda em busca de abrigo lhe alegrava. O cão era tão pequeno que a Stylist poderia deduzir que não saíra do ovo há muitos dias. O filhote, neste momento, brincava de atacar o pé do ruivo, que já havia retirado novamente os tênis. Ethan, demonstrando paciência, provocava o cachorrinho em uma falsa luta, cutucando-o na barriga com os dedos do pé. A brincadeira corria tranquila, até que o filhote tropeçou no tênis do gangsters. O sapato foi arrastado pelo cadarço e caiu sobre o Pokémon selvagem que, assustado, pulou choramingando para o colo da Stylist. Serena e Isaac reclamaram do intruso, porém Lillipup estava muito ocupado, latindo para o cruel tênis, para prestar atenção nos outros dois. Ethan ria da situação, com sua risada infantil e contagiante, sem deixar escolhas a Sakura, a não ser rir também.


sorteio

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eu, Serena, e o pseudo-cadete: Rota 1, lá vamos nós!

Mensagem por Sakura Mille em Qua 05 Fev 2014, 19:49




♥ Eu, Serena, e o pseudo-cadete: Rota 1, lá vamos nós!


A chuva era tão linda da janela do meu quarto! Passara horas estudando na biblioteca central, mas, algumas vezes, tinha que optar para o aconchego do meu lar. Mamãe gostava quando estudava em casa e poderia sempre “invadir” o meu quarto com um lanche. Eu adorava também, apesar da biblioteca me oferecer mais recursos. Mas naquele campo, a chuva parecia uma péssima ideia, o que me remetia à procura do sonhado abrigo cavernoso. Abrigo, este, que parecia mais longe de se encontrar do que perto...

Ethan parecia assumir a liderança logo, e assim, segurando Isaac e tendo Serena para me seguir, caminhávamos a passos pesados, seguindo o gangster e sendo acompanhados por pingos grossos de chuva que caiam sem parar. O intervalo de um pingo para outro era longo, mas pareciam encurtar na medida em que andávamos.

Logo encontrámos algumas rochas, que poderiam proteger-nos dos fortes ventos que acompanhava a chuva, mas não da água propriamente dita. A precipitação continuava e a frequência das gostas pareciam ser um problema. Mas ai Ethan tirava de sua bolso uma barraca, e montava belamente tendo as rochas como escudo. O jovem ruivo era realmente preparado para tudo.

Adentramos na nossa moradia, enquanto uma lata era improvisada para se tornar uma fogueira. O saco de dormir auxiliava as chamas no aquecimento do corpo, e os Pokémon adoravam estarem em meu colo. Isaac parecia menos pesado, apesar de ainda permanecer mais lento. Serena exalava o seu doce perfume, que misturava com o cheio de chuva, ou terra molhada – ou ainda as bactérias se reproduzindo no solo, eca! – deixando aquele ambiente muito aconchegante. Quem diria que descansar na chuva era uma boa escolha, hein?

Para completar a alegria, agora estava Ethan “brigando” com um Lillipup, aparentemente bebê, fazendo todos darem boas risadas. O canino se recolhia sobre o meu colo, derrubando Isaac, que não gostou do canino desde o começo, e Serena, que pareceu decepcionada ao perder o seu posto. Eu e Ethan riamos. Ele mais do que eu, afinal, sua risada impulsionara a minha. Fitei o ruivo por um momento e fiquei feliz por tê-lo por perto.

Tal pensamento passara rápido ao lembrar que ele era um fora da lei, e aquilo poderia ser um risco para a minha jornada. Virá uma exilada não beneficiaria ninguém, e prejudicaria apenas a minha pessoa. Não era os meus planos. Era um risco que eu tinha que passar ao ter o jovem ao meu lado! Nem lembrava porque isso aconteceu e muito menos lembrava o pedido do jovem em viajar comigo. Parecia tudo escrito nas entrelinhas e desenhado pelo universo.

Não me lembro o momento em que eu peguei no sono, apenas lembro que Lillipup foi o primeiro. Isaac foi logo em seguida, sendo a última, Serena. Todos sobre mim. Ficava quentinho e gostoso. Era engraçado como Isaac e Lillipup não se gostaram, e agora dormiam um do lado do outro, tendo suas patas unidas. Vamos esperar o amanhar de uma nova era... Depois que a chuva passar, claro!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eu, Serena, e o pseudo-cadete: Rota 1, lá vamos nós!

Mensagem por Alice em Qui 06 Fev 2014, 13:22

Os pokémons adormeciam um a um e, logo depois, Sakura fechava os olhos mais uma vez. Mesmo após dormir toda a tarde, a jovem se sentia cansada. Talvez esse cansaço viesse do conflito interno entre a razão de que Ethan por perto poderia lhe causar problemas e até custar sua licença e a curiosidade e a felicidade de ter ele por perto, lhe mostrando um mundo completamente diferente daquele que seus pais a haviam criado.

As horas passavam e o vento uivava do lado de fora. As escuras nuvens não permitiam precisar a hora do dia ou da noite. Quando Sakura despertou, espreguiçando-se de forma manhosa, a fogueira ainda estava acesa, porém bem mais fraca. Ethan parecia secar o cabelo com uma camisa mesmo e só depois de esfregar os olhos a garota percebeu como ele estava molhado.

- Já acordou lindinha?

O ruivo não parecia irritado com a intempérie, muito menos por ter saído e ter sido castigado pelos ventos para providenciar comida. A frente do Gangster, algumas berrys picadas. A diversidade das frutas não podia ser descrita, mas o prato estava colorido e apetitoso. Uma das três maçãs vermelhas que permaneciam inteiras logo foi pega pelo ruivo e mordida.

- O café vai ser mais natureba, mas dá pro gasto. Essa chuva parece q vai longe infelizmente... Se ela não reduzir até amanhã, teremos de nos arriscar...

Com muito esforço Sakura pode perceber que já havia amanhecido. Era seu segundo dia na Rota 1 e estava presa em uma tenda. A situação não era muito positiva...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eu, Serena, e o pseudo-cadete: Rota 1, lá vamos nós!

Mensagem por Sakura Mille em Qui 06 Fev 2014, 19:33




♥ Eu, Serena, e o pseudo-cadete: Rota 1, lá vamos nós!


O dia chegava – eu acho! – e a chuva continuava. Depois de uma noite linda sob das constelações, tudo terminou com a tempestade. Queria ter mais tempo para poder desfrutar o imenso céu ao olho nu, mas o que pude ver era que teria que esperar. Não fazia diferença, afinal, teria muitas e muitas noites para poder encontrar todas as constelações que eu já estudei e mais.

Lillipup não acordava comigo, já Serena, despertava quase que automaticamente. Isaac vinha logo atrás, no entanto, permanecia sonolento e arrepiava com facilidade ali. Ethan estava se secando, o que era estranho, já que a tenda continuava seca e assim eu procurava alguma goteira. Mas logo, quando não encontrei, lá estava o jovem com um punhado de frutas que ele mesmo foi colher.

- Nossa! Parecem tão apetitosas. – avancei em uma maçã aparentemente bem carnuda e dei logo uma mordida. As frutas da rota eram mais gostosas do que as de casa, compradas em quitanda.

Serena pegava uma fruta para ela, Isaac e Lillipup, este, acordando já. Comia junto do gangster, que demonstrava o mesmo apetite de sempre. Ele, sem dúvidas, gastava mais energia que eu. Mas logo ele deixou claro que a chuva aparentava não passar e que se assim fosse, nós teríamos que seguir viagem assim mesmo.

Se de um lado eu hesitava em percorrer a rota 1 molhada, com o quimono prendendo no meu corpo, de outro eu queria sair dali e continuar a viagem. Ainda havia a troca na vila próxima, a qual eu não queria perder. Sendo assim, eu logo coloquei de pé – ou quase, já que a tenda não permitia – me arrumei para sair, colocando uma outra roupa sobre os meus cabelos.

- Acho que não podemos esperar que ela passe, não é? Creio que estamos em período chuvoso, e se for igual ao ano passado, iremos enfrentar muita água ainda. – dizia erguendo a Pokéball e recolhendo Serena e Isaac. Os dois ficariam bem quentinhos em suas respectivas Pokéball.

Saia da tenda, sendo seguia por Ethan e assim virei para o jovem e sorrir:

- Vamos?!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eu, Serena, e o pseudo-cadete: Rota 1, lá vamos nós!

Mensagem por Alice em Qui 06 Fev 2014, 23:28

Sakura amarrava uma roupa na cabeça, tentando se proteger o mínimo da chuva, e saia da tenda, encarando o temporal. Não demorava mais do que alguns segundos para que o kimono se colasse totalmente ao corpo da Stylist, dificultando seus movimentos e baixando sua temperatura corporal.

Ethan olhava tudo de dentro da tenda ainda. O gangster respirou fundo e calçou os tênis. Em seguida o ruivo colocou a jaqueta e abrigou o filhote de cachorro no interior. Mille sorriu com a preocupação do criminoso para com um selvagem. Após guardar as coisas que haviam no interior da tenda, o ruivo saiu para a chuva com a cabeça descoberta. O cabelo se grudava à cabeça, ocultando traços normalmente muito visíveis do ruivo.

Com agilidade, ele desmanchava a tenda e a guardava. Ainda insatisfeito com a chuva, o ruivo pegou a jaqueta de lona que tinha e a esticou sobre sua cabeça, aproximando-se de Sakura e a protegendo também. O cachorro se mantinha seco dentro da jaqueta que o ruivo vestia. Logo a dupla retomava a caminhada, enquanto ele reclamava que não teria quase nada de roupa seca em pouco tempo.

Os passos eram lentos e difíceis. O tênis de Ethan fazia barulho a cada passo. O cenário parecia não ter fim. A dupla nem ao menos percebeu quando passou a fronteira entre a rota 1 e a rota 2. Os pés de Sakura já protestavam da caminhada, porém a jovem seguia firme, determinada a vencer aquela jornada. Nenhum Pokémon era visível, exceto o Lillipu que tremia na jaqueta de Ethan. A chuva não aliviava sua pressão e o vento empurrava o casal para trás, como se os avisasse para voltar. Sakura olhava para os lados, mas tudo parecia igual demais para ajudar.


tópico trancado
continuamos exatamente daqui na rota 2 ;D
chuva, caminhando abraçados e louca a caminho
q acha?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eu, Serena, e o pseudo-cadete: Rota 1, lá vamos nós!

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum