Corrida contra o tempo!

Página 3 de 3 Anterior  1, 2, 3

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Corrida contra o tempo!

Mensagem por Nerkon em Seg 15 Jul 2013, 19:20

Seus punhos pressionavam a si mesmos em toda sua ira, o desgosto que o rapaz sentia por seu oponente não podia ser medido por meras palavras. Tudo aquilo estava chegando à um ponto onde até mesmo os mais míseros segundos deixavam aquela batalha cada mais insuportável para Gabriel, seu oponente era infantil, tolo e arrogante, de fato, era a personificação de boa parte da raça humana... E era exatamente essa porção de seres inúteis que era alvo de boa quantia do mar de ódio que mantinha-se sempre agitado na mente do loiro.

Enfim aquela galinha havia acordado, mas qual era a diferença? Os danos sofridos eram absurdos e só aumentavam a confiança de seu inimigo, o jovem genuinamente erguia o pilar dos desejos e das ambições em seu coração sombrio, pensava em apenas uma coisa: Em estraçalhar aqueles sentimentos fúteis de seu oponente. Infelizmente isso era tudo o que o loiro podia almejar, não detinha o luxo de abusar da infantilidade do moreno para causar-lhe um medo insuportável e torna-lo um ser como ele próprio, não podia permitir ser criminalizado por culpa de um mero "inseto", ainda tinha muito a fazer com sua liberdade ilusória, por hora tinha de jogar com as cartas que eram dada-lhes pelos cadetes.

Seu olhar já não mais era escuro e negro como antes, algo havia inflamado um fogo cruel e infernal. Nos olhos do loiro era refletido o verdadeiro inferno, casas e humanos recebiam rajadas de chamas simplesmente por cometerem o pecado de existirem, talvez fosse possível até mesmo cheirar a carne queimada caso se olhasse profundamente nos olhos do rapaz. O fato é, esse espelho advertia ao moreno da mudança repentina na mentalidade do loiro... Gabriel havia, francamente, tornado-se algo que mais parecia um demônio em forma de humano, sua aura era sombria. Suas pálpebras e lábios ressecavam igualmente, a postura estática era mantida e Torchic chegava à beira do desespero, quer que fosse por não receber ordem alguma de seu mestre ou por simples medo.

Enfim Gabriel mostrava sinais de movimento... mas não algo que fosse levantar os espíritos de alguém que esperasse por encontrar traços de humanidade no ser, o loiro inclinava em sequência seu pescoço para a direita e em seguida para a esquerda, estalando-o por uso puro da pressão causada por sua força, em seguida voltou à postura anterior e esticou ao máximo sua coluna, as ações eram assustadoras e inesperadas, mas ao mesmo tempo pareciam atos que buscavam relaxamento para aquele corpo exausto e estressado.

Estava... bem. O loiro por algum motivo levantava a mão e punha o membro logo à frente de seus olhos, na verdade certificava-se de que ainda estava naquele mundo triste e de que não havia perdido sua sanidade, ainda podia lutar contra o descontrole que estava cada vez mais próximo de ocorrer. Talvez... fosse aquele um traço humano? A ira. Um dos sete pecados capitais, muito comum em humanos daquela época que não podiam aceitar às menores diferenças.

O gladiador começava a rir, balançava o corpo suavemente num ato que chegava à fronteira do descontrole. Sim! Ele ainda era humano! E quem diria... era um do tipo mais desprezível, naquele dia ele havia cruzado os limites da hipocrisia e repugnância. Era necessário redimir-se para ganhar de volta algum respeito para si mesmo... e qual era o melhor método para fazer tal coisa além de esmagar aquele tolo à sua frente? Iria continuar a batalha de onde havia parado, era necessário ensinar uma lição de vida para aquele moreno desprezível.

Os olhos mais uma vez refletiam em intervalos de tempo equivalentes as diferentes partes do campo; casas, postes, tudo era observado pelo gladiador que, infelizmente -ou felizmente- não julgava conseguir usar algo do ambiente para sua vantagem naquele momento. Talvez fosse possível fazer uso do poste que havia ali, mas aparentemente mesmo as partes mais frágeis do objeto gozavam de uma aparência sólida, o poder de fogo atual de Torchic provavelmente não era o suficiente.

Restava, então, os métodos mais diretos. Existia sempre a possibilidade de Torchic fazer uso da vantagem aberta pelo Focus Energy e acertar um ataque fatal e, mais importantemente, também era possível que os pelos frágeis de Skitty recebessem uma queimadura severa, o que mudaria completamente o cenário de batalha e daria à Gabriel uma vantagem muito maior que a última presenciada.

Os olhos castanhos, como sempre, gastavam dos segundos restantes antes de uma ordem ser dada para indagar por uma possível abertura, sem conseguir encontra-la, Gabriel decidiu que anunciaria sua estratégia ofensiva, cobrindo cerca de metade do rosto com sua mão direita antes de dizer enfim algo... com uma voz tenebrosa.


- Corra. Corra e fuja como se sua própria vida dependesse disso, movimente-se em zig-zag e faça bom uso de suas pernas desenvolvidas... assim que Skitty aproximar-se tome impulso e jogue-se ao chão ao mesmo tempo em que lança uma rajada de seu Ember na pokémon, mire numa região específica e frágil, como a cabeça... - Pausou, erguendo seu braço direito para o alto e colocando-o entre seu rosto e o sol. Olhava para o céu como se buscasse por estrelas e enquanto o fazia deu continuidade à suas ordens. - Em seguida levante-se... corra, gire, pule, movimente-se sempre com agitação e evite os ataques de Skitty, dance para surpreende-la e distrai-la, dance com o fogo e lance o segundo Ember no mesmo lugar onde você mirou anteriormente.

Os comandos eram estranhos... Existia alguma chance de funcionarem? Apenas o tempo responderia.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corrida contra o tempo!

Mensagem por Ayzen em Seg 15 Jul 2013, 21:43

Um vento singelo passava pelas ruas de Jorvet Village. Era visto como uma fonte de ar em movimento, entretanto, ele trazia más notícias. Eram notícias que só os mais sábios anciões poderiam traduzir, porém, poderia sentir a qualquer momento aquela atmosfera mudar.

Não só o jovem morena tinha crises de personalidade aguda, como o loiro demonstrava isso. O céu nublava vagamente e se fechava perante a vila. Algumas pessoas viam isso e trava de adentrar o seu lar no mesmo momento. Era visto como período de chuva, mas com certeza não iria chover ali.

Possivelmente a natureza sentia a grande massa de irá, fervor demoníaco se acumular naquele local. Um jovem de aparência frágil, mas que guarda dentro de si uma energia tão maligna que poderia ser sentido a quilômetros de distância por qualquer um, principalmente um seguidor de Arceus, que são ditos por serem mais sensíveis que os demais pela sua capacidade de cuidar de almas.

Gabriel se irritava profundamente com o seu oponente. Este estava passando dos limites quando se dirigia ao vigarista com palavras rudes e imaturas. Era como se o gladiador visse uma presa, pronta para ser abatida pelas suas próprias mãos. Era necessário uma percepção maior par poder desvendar o mistério sobre os olhos flamejantes do loiro.

Torchic tremia ao sentir o vento forte passar pelo campo, como se tivesse vindo anunciar a chegada do Príncipe das Trevas dentro do corpo de um garoto. Todo pensamento deserdado de compaixão e possuído de poder assumia a forma de Gabriel e ele sentia o pulsar do seu sangue.

Cada parte de seu corpo, cada movimento, cada respirar clamava arduamente por uma morte, mas não era qualquer morte, e sim do seu oponente. Ao respirar, era necessário muito mais que um mero ar constituído de vários gases, entre eles o oxigênio, para poder manter aquela chama dentro do rapaz. Este, queria mais do que tudo aquilo. Queria se superar.

Era humano? O próprio poderia duvidar disso, até o seu Pokémon temia a reação de seu mestre. Via-se sem saída, o Pokémon pintinho, a não ser aguarda as ordens do mestre possuído. Era visto como um sentimento que girava em torno de uma só alma, um só propósito, que se erguia naquele combate, naquela guerra.

Skitty sintia aquela aura negativa, até arrepiava sobre o e feito do vento que trazia o alerta de que o humano que ali se foi estava perdido. Mas o moreno, o oponente, não sentia nada, apenas continuava com o seu sorriso convencido que iria vencer. Talvez fosse mesmo, mas não era certo, afinal, apesar da gatinha fosse forte, o adversário era astuto, coisa que faltava nele, como maturidade.

Gabriel se recobrava de que estava ainda ali. Talvez a humanidade do jovem não tenha ido de completo. Ainda restava uma ancora que prendia e ligava o demônio em seu mudo, deixando apenas uma porta para respirar e dizer que estava ali. Restava saber o quanto de tempo que essa ferramenta deteria o grande mal de vim para esse mundo por completo. Quando isso acontecer, talvez nem sobre tempo para clamar por ajuda.

Ali em campo o jovem Gabriel reagia. Começava as suas ordens de todos os tipos e lados. Montava todo esquema para poder usar o corpo de Torchic para vencer o combate. Era uma estratégia de movimentação, embora a velocidade de Skitty fosse maior, poderia funcionar muito bem.

O jovem oponente apenas ficava ali fitando os vários movimentos, um tanto complexos, mas só de aparecia, sobre o jovem loiro. Poderia estar apelado demais? O que interessava era que Torchic temia o seu treinador e faria de tudo para seguia as ordens em contestar.

- Você pirou de vez, não é? Vou acabar logo com isso. Skitty, use o seu Tackle diretamente em Torchic. Não deixe ele usar o seu golpe, mande-o para longe com o golpe mais forte que tiver. Em seguida, aguarde os movimentos dele e quando vê qualquer sinal que o seu oponente irá progredir, use Attrach.

Os comandos eram lançados em campo. Torchic e Skitty estavam sérios, com medo da presença que havia passado por ali e estava ainda, possivelmente. Sem pensar duas vezes, o Pokémon Fire começava a correr pelo campo, de um lado para o outro, como se nada pudesse impedi-lo.

Skitty observava e corria em linha reta, movimentando apenas a cabeça para acompanhar para onde o seu oponente estava indo. Torchic se movia bem e nem parecia ser menos veloz que Skitty. Parecia que as velocidades estavam balanceadas ali.

Mas logo o plano de Gabriel se colocava em ação, porém, com surpresas em seu final: Torchic se lançava no chão, escorregando sobre a  terra e se machucando um pouco. Nesse momento Skitty saltava contra ele e usava Tackle, no mesmo instante em que as brasas eram lançadas contra ele.

O golpe Tackle, pegava nas brasas de Skitty, quando elas estavam ainda dentro do bico do Pokémon. Uma explosão acontecia em campo e uma fumaça negra englobava os dois Pokémon. Fora um golpe crítico e certamente acertou Torchic, além do Tackle de Skitty.

A fumaça era levada pelo vento e ali estava ambos Pokémon lutando para se erguer em campo. Ambos machucados, cheio de fadiga e pareciam estarem dando os seus limites. Era visto aquilo como uma situação bem embaraçosa. Skitty respirava ofegante, enquanto Torchic parecia nem respirar mais por conta da alta frequência de respiração.

Mesmo assim Skitty saltava regredindo para o seu lado do campo e observava Torchic. O Pokémon Fire olhava para o seu mestre, como se quisesse dizer que estava em seu máximo. Mas temendo uma reação negativa, continuou a batalha, como se fosse a única coisa que o satisfaria ali.

Torchic começava correr, rolar e pular em campo. Skitty só seguia-o com a cabeça, indicando onde ele estava. Torchic não parava de se movimentar, até que ele parou no meio do campo e inflou o seu peito, concentrando ar para poder disparar o seu golpe.

Skitty percebia isso e logo saltava fazendo uma carinha fofinha em campo. Nesse momento, corações rosados surgiam e partia para Torchic, que lançava no mesmo momento o seu Ember. Os corações e as brasas se intercruzavam, sem se tocarem e assim a troca de golpes fora confirmado.

Uma grande explosão acontecia sobre Skitty, deixando um manto vermelho pelo corpo da gatinha, indicando que estava sobre efeito de Burned. Os corações rodeavam Torchic e em seguida se encontravam e formavam um grande coração rosado que se dissipava, deixando o Pokémon sobre efeito In Love.




Hora da Batalha
Condições da batalha: Dia ameno. Em frente à loja de Aya. Estrada de terra batida. Um buraco por causa do dig. Um poste de luz mais afastada. Casas e lojas em ambos os lados da estrada.

Torchic - Lv.11 - Trait: Blaze
28%, Status: -1 Defense / In Love

Vs.




Skitty - Lv.14 - Trait: Normalize
18%, Status: -2 Attack/ Burned


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corrida contra o tempo!

Mensagem por Nerkon em Qui 18 Jul 2013, 21:44

Alguns dizem que os verdadeiros monstros mostram seus dentes somente durante as batalhas, há também quem acredite que os que mais parecem inofensivos são os piores dentre os piores... camuflados em corpos idênticos aos dos humanos, tais criaturas chegavam à fronteira do sobrenatural com um sentimento anormal e incontrolável de ira e rancor por tudo que ousava existir. Não importava se existia um motivo por trás desse estado ou se um ser era capaz de entrar em tal simplesmente por desejar derramar sangue... Máquinas de matar existiam, pessoas sem coração existiam, monstros loucos existiam. Nada disso é novo no mundo caótico de Shinki.

E talvez essas classificações pudessem ser dadas à Gabriel, o gladiador loiro que costumava camuflar-se no corpo de um rapaz calmo - ainda que fosse evidente um rancor pelos outros - e que com o passar daquela batalha havia sofrido uma metamorfose psicológica para tornar-se algo assustador. Seus sentimentos ganhavam prioridade e com isso movimentavam corpo e mente do jovem, não havia remorso por seus oponentes ou aliados, apenas o desejo de findar aquela batalha... Humilhar o moreno à sua frente, era esse o objetivo que provavelmente o saciaria e deixaria-o pronto para descansar antes de tomar seu próprio rumo mundo afora.

O ambiente estava verdadeiramente sinistro, mais parecia que a natureza estava do lado daquele ser revoltado e fazia-o parecer uma existência além da de um humano. A atmosfera parecia afetar os pokémons presentes, no entanto parecia não surtir efeito algum no oponente de Gabriel. Era aquele um excesso de confiança tremendo? Talvez. E o loiro desejava que exatamente aquilo fosse a ruína de seu oponente... seu túmulo. Secretamente desejava poder assistir ao momento da morte daquele rapaz, mas contentaria-se com esmagar todas as suas expectativas - Caso ele não acabasse por realmente perder o combate, claro.

Em campo não havia dúvidas: Os próximos ataques decidiriam o combate, nenhum dos pokémons aguentaria mais que dois ataques, talvez nem se quer fossem capazes de suportar um. O loiro podia fazer uma análise sucinta com facilidade, não haviam obstáculos que impedissem sua visão ou seus pensamentos, reconhecia que estava numa pequena vantagem.

Tal vantagem, todavia, podia ruir-se com facilidade. Era fato que Torchic estava consideravelmente menos ferido que Skitty, ainda que ofegante, mas por outro lado o pokémon de fogo podia puxar novas forças de seus ferimentos para aumentar seu poder de ataques do tipo fogo com a habilidade Blaze. A felina, por sua vez, possuía mais machucados que o adversário e acima de tudo a condição de status Burn que além de causar um bom dano com o simples passar do tempo também viria a diminuir o poder ofensivo da pokémon. Mas... mesmo com tais vantagens era impossível não apontar para um problema gravíssimo: Torchic estava novamente sob os efeitos do Attract da oponente.

Portanto não era errado dizer que o sucesso do gladiador dependia completamente de seu sucesso em fazer com que Torchic lançasse uma ofensiva. Entretanto para tal fim era necessário um meio no qual se trabalhar e com isso a mente do jovem começava a trabalhar, a pensar no que podia ser feito para mais uma vez quebrar o Attract.

Lembrava-se do primeiro desse ataque usado na batalha e de como ele havia sido quebrado com a simples presença de sua "aura maléfica" que amedrontava Torchic como nunca havia feito antes, mas ao mesmo tempo questionava-se quanto à poder usar de outra alternativa que poderia mostrar-se mais efetiva... Afinal aquela criatura desejava provar-se para seu mestre, não desejava?

Chegou, então, à uma decisão final: Tentaria criar a impressão de uma falsa expectativa que ele possuía sobre seu pokémon. Com isso era possível que Torchic iria deixar levar-se pelo entusiasmo de poder conseguir a simpatia de seu mestre e enfim batalharia sem hesitação, quebrando o efeito do Attract. Claro, isso poderia falhar, mas caso funcionasse os efeitos com toda certeza seriam positivos.

Logo Gabriel ergueu lentamente ambos os braços e os pôs à frente de seu peito, até ali não sabia-se o que o loiro planejava quando... ele começou a bater palmas. Batia lentamente e com calma, fechava os olhos e inclinava a cabeça para baixo, fingindo ter gostado da movimentação de Torchic e então de certa forma parabenizando-o. Em seguida o rapaz novamente abriu seus olhos, ergueu o rosto e fitou o pintinho.


- Muito bem, fez um ótimo trabalho... Espero que continue assim, você está melhorando, talvez eu estivesse errado sobre você... Creio então que será capaz de vencer essa batalha? - Questionou ao pokémon, finalizando sua oratória com um sorriso de lado antes de resumir sua fala, desta vez revelando as ordens. - Não perca tempo, Skitty está cansada e você está superior... Sua habilidade Blaze já deve ter ativado, portanto não aguarde, use de seu estado mais saudável para agir primeiro e lançar um Ember direto nela, deixe as brasas alcançarem boa porção do campo! Caso erre apenas movimente-se e contorne Skitty antes de usar um segundo Ember, acerte um deles e provavelmente vencerá... Me orgulhe!

Com o fim de suas ordens Gabriel pôs-se a esperar, restava saber se aquilo realmente havia sido eficaz em criar a expectativa desejada na mente de Torchic.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corrida contra o tempo!

Mensagem por Ayzen em Sex 19 Jul 2013, 00:19

De certo, toda Shinki pertencia a uma sociedade mesquinha e sem coração. Mas era termos bem científicos, no campo das ideias, apelas para metaforizar a agonia e maldade existente entre as pessoas de todos os lugares que não estavam nem se importando, o mínimo que fosse, para com os outros. Entretanto, existiam aqueles onde o corações fora substituído por uma pedra.

Eram pessoas realmente inspiradas por forças negativas, cuja única função era espalhar o caos, a discórdia, o rancor. Ódio era a única coisa que se poderia esperar desses seres endiabrados.

Um desejo doentio assumia a forma do vigarista, que até nesse pouco tempo, se mostrava forme em campo, porém ainda calmo. Uma seleção de mudanças ocorria nesse meio tempo, porém nada que pudesse fazer tão diferença quanto o último estágio.

Era evidente que Gabriel deixara a sua forma bucólica e assumia um nefasto ser redundante e opressor, na qual o único objeto era poder humilhar o moreno em sua frente.

O clima mudava naquela região, podendo sentir um hostil parecer do mal. Todos naquela vila sentia que o mal pairava sobre o céu dali. Eram nuvens negras e poderosas em angustia e nada poderia deter aquilo. Os Pokémon sentiam aquela angustia ali e Torchic chegava até a ter medo de seu mestre.

Era angustiante ver aquela batalha sem temer o pior! Vento, natureza, paisagens que estavam a ser deformadas simplesmente pela liberação do grande ser maligno que abitava dentro de um jovem gladiador, lutando ardentemente para poder ser liberado.

A ânsia que Gabriel sentia em arrancar a cabaça do moreno e esfrega-la no solo descomunal, mas no momento, apenas humilhar o seu oponente aplacaria a fúria de seu demônio interior, que insistia em sair por completo, deixando aquele receptáculo de lado.

A batalha era analisada pelos olhos castanhos do jovem, que sentia cada detalhe, cada respiração ofegante do pequeno Pokémon Fire e da Pokémon Normal. Eram momentos difíceis aqueles, na qual uma única decisão ou um ataque mal feito poderia levar a ruína de um dos dois.

Os Pokémon em campos estavam exaustos, dando tudo de si para poder vencer aquele combate horrendo que apenas o oponente moreno não sentia. Skitty estremecia cada vez mais que o tempo passava e tentava alerta o seu mestre, porém sem sucesso, ela retornava todos os seus sentidos para o campo.

Torchic ainda permanecia sobre efeito da paixonite, causada pelo Attrach. Era um golpe meio angustiante, que deixava o Pokémon caindo de amores por Skitty. Mesmo que Attrach não tivesse acertado, poderia julgar que a batalha já estaria ganho para o gladiador, já que toda aquele meio de batalhar causara danos desastrosos para a gatinha, incluindo o efeito Burned.

O Pokémon Fire ainda tinha uma vantagem que o jovem pode computar: Blaze. Mas por hora, a habilidade não havia se ativado, deixando bastante omisso se seria feito um balance ou não. Era hora de testar esse caminho, mas parecia que enquanto In Love não tiver deixado o campo, nada de Blaze.

Gabriel começava a sentir tudo, cada detalhe para não ruir todas as suas possibilidades de vencer aquele combate. Era hora da mente maquiavélica do gladiador começasse a trabalhar para a consumação de sua vitória.

Para tirar o seu Pokémon daquele meio de paixões falsas, o jovem e demoníaco gladiador tinha uma ideia: usar dos sentimentos de seu Pokémon para com ele, que seriam mais forte do que os falsos implantado pela felina.

Gabriel se erguia com o seu Pokémon e logo começava a... começava a elogia-lo! Sim, o gladiador que questionara que o pequeno pintinho não serviria para nada, agora estava elogiando todo, começando a encher o seu Pokémon de satisfação.

- Olha só... Que estranho, mas não vou compartilhar desse momento doce. Skitty, use Tackle e acabe com isso, seguido de um Sing.

O Pokémon do oponente erguia-se, mais lento devido ao medo do monstro que estava presente em campo. O Pokémon Fire fechava os seus olhos e os apertava com força. Queria se livrar daquela ameaça e teria que ser rápido, já que Skitty estava próxima.

Logo uma aura vermelha-alaranjada cobria o pequeno Pokémon. Um calor forte começou a emanar em torno do jovem Pokémon e logo abria os olhos, pronto para lutar ao auxílio de Blaze e sem o efeito terrível da paixão.

Skitty saltava para poder deferir melhor o seu golpe, e assim Torchic abria o seu bico e um manancial de chamas era lançadas sobre a Pokémon normal, rebatendo-a para longe e assim finalizando aquela batalha ali mesmo.

Skitty caia em campo e assim ali ficava. Um raio vermelho a puxava para dentro de sua Pokéball e assim o jovem olhava para Gabriel. A batalha se findava e logo aquela aura negra que saia do gladiador avança em campo e finalmente atingia o moreno, que logo via, não Gabriel, mas o demônio que se mostrava momentaneamente para o jovem, ansioso por sangue e cadáveres.

O jovem moreno ficava pálido e logo todas as veias do corpo surgiam. Ele logo lançava o dinheiro em campo e saia correndo, parecia com medo do que via. Seria a face da destruição e da guerra? Ou a morte?


1650 de EXP para Torchic
Subiu 4 leveis

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corrida contra o tempo!

Mensagem por Nerkon em Sex 19 Jul 2013, 01:22

Gabriel assistia à cena de desespero de seu oponente com prazer evidente em sua face, o loiro não fazia nada além de sorrir enquanto colhia os frutos da batalha: Seus pokémons estavam muito mais fortes e o moreno ingênuo havia provado o gosto da derrota após banhar-se num mar de confiança excessiva.

Para o gladiador aquilo não passava de uma saborosa e prazerosa refeição, como era evidente pelo gesto de lamber os próprios lábios. Já para seu oponente... parecia que um desespero desconhecido havia chocado-se de frente contra ele, levando-o a fugir como se sua própria vida estivesse em jogo. Teria ele fugido de apenas um simples gladiador ou teria Gabriel realmente tornado-se um demônio em pele de humano, nem que apenas pela duração daquela batalha? É uma questão difícil de se responder, as muitas cicatrizes do loiro haviam tirado muitas coisas para dar-lhe apenas uma: Uma ira massiva e assustadora.

Mas ao menos por hora não mais haviam problemas à frente do rapaz que podia enfim relaxar e recusar-se a sustentar aquela grande aura de rancor que antes o envolvia, por fim dando seu tão esperado suspiro de alívio. Gradualmente aquela feição macabra do rapaz mudava-se para uma de simples cansaço e stress, o loiro não desejava nada além de repousar após aquele combate tão cansativo... felizmente ele estava logo ao lado do PEVOAK, onde poderia recuperar seus pokémons e descansar seu corpo antes de seguir viagem.

De fato... Talvez estar próximo ao PEVOAK o trouxe mais tranquilidade e calma, poucos são os que conseguem trazer paz e conforto àquele gladiador, mas aquela pequena garota, Aya, havia conquistado sua simpatia. O rapaz ergueu o rosto e olhou para o céu, crendo que havia feito uma boa escolha de local para batalhar.

Após aqueles pensamentos, Gabriel decidiu começar a agir. Brevemente trocou olhares calmos com Torchic e em seguida caminhou até o dinheiro deixado por seu adversário e recolheu-o. Logo após o rapaz virou-se para seu pokémon, já pensando sobre que tipo de resposta daria à ele... Mas decidiu por dar uma continuidade inofensiva ao jogo psicológico que havia feito ao término da batalha antes de retorna-lo, julgando que deixa-lo assustado não seria uma boa escolha naquele momento.


- Você fez um bom trabalho mas está na hora de descansar, retorne. - Após aquelas simples palavras o rapaz pôde notar um entusiasmo aparente em seu pokémon, mas ignorou-o e logo o retornou para sua respectiva pokebola.

Com mais nada para fazer ali, Gabriel virou-se para a loja pertencente à Aya e deu uma leve batida na porta antes de abri-la. Imaginava se Aya havia visto seu momento de descontrole e se por isso o temeria ou o odiaria... mas decidiu por soltar a voz e ver por si mesmo.


- Estou de volta! Aya, poderia curar meus pokémons por favor?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corrida contra o tempo!

Mensagem por Ayzen em Sex 19 Jul 2013, 12:54

O jovem gladiador estava diante de sua vitória em campo. O moreno que estava mergulhado em confiança da mais variada possível acabava se encontrando com a face do demônio, pelo o que parecia. Era nítido a expressão unida a uma emoção conhecida por muitos: medo!

O jovem moreno partia correndo, nem recuperava os seus Pokémon e agora parecia estar longe da vila. As ruas estava desertas e a única coisa presença de vida ali era o receptáculo dos espíritos negros e Torchic ao lado ofegante e se livrando do excesso de poder que Blaze trouxe.

O jovem vigarista via-se na necessidade de curar e seguindo o seu plano inicial de tentar ajudar a confiança do Pokémon ele elogiou, fazendo o Pokémon Fire estufar o seu peito.

O raio vermelho logo recolhia o Pokémon ali e assim Gabriel adentrava a cabana de cura. Aya estava lá, dessa vez com uma blusa de frio mais grossa, devido a mudança no ambiente.

- Nossa! Que frio repentino, não? Pensava que iria ser sol o dia todo, mas bem.. Pode deixar comigo os seus pequenos irei tratar. Se quiser da uma olhada na vitrine da loja, fique a vontade. Nós temos produtos 100% naturais...

A representante de cura naquela aldeia logo pegava a Pokéball do jovem e se recolhia para a cura. Ali, Gabriel poderia ver a vitrine, onde os produtos se encontravam.




Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corrida contra o tempo!

Mensagem por Nerkon em Sex 19 Jul 2013, 19:48

Ao menos até ali tudo parecia correr bem, talvez houvessem chances de que o resto do dia não passaria de ser calmo e permitiria a Gabriel relaxar ao invés de manter-se estressado. Aya parecia incomodada pelo frio repentino e nada além, talvez não houvesse o visto em seu momento de ira ou até não se importasse com aquilo.

Independente daquilo, o loiro aproximou-se das prateleiras com os produtos do estabelecimento e lentamente os observou um por um, notou também alguns TMs, mas assim que percebeu o preço desistiu de compra-las, optando por comprar apenas um dos bolinhos PEVOAK ali presentes, julgando-os baratos e úteis o suficiente - ao menos em emergências - para a compra ser justificada.

Com sua compra já em mente o rapaz simplesmente encostou numa das paredes da cabana e relaxou, aguardando por Aya. Assim que viu a garota ele fez o pedido.


- Obrigado por tudo... Acho que eu gostaria de comprar um dos bolinhos PEVOAK...

Com o pedido feito o rapaz aguardaria somente por seus pokémons e o bolinho, estando com o dinheiro já em mãos para executar o pagamento. Após tudo aquilo ele finalmente iria sair dali e começar seu caminho até Nyender, que começaria com a travessia pela rota 2 após sair de Jorvet.




Off: Não consegui encontrar muito o que escrever, então post mais fraco mesmo :<

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corrida contra o tempo!

Mensagem por Ayzen em Sex 19 Jul 2013, 20:55

Off: Tudo bem! ;)


O jovem gladiador percebia o incomodo de Aya perante a mudança brusca de temperatura. A essa hora, o demônio se acalmava dentro de seu receptáculo, deixando Gabriel mais calma e aquela aura que espantava tudo e todos estava se desfazendo aos poucos. Simultaneamente, o tempo voltava a se normalizar, deixando claro a existência do ser humano que abriga o maligno.

Gabriel depositava a sua confiança na dona da barraca. De certo, Aya era muito atenciosa e parecia dominar bem as técnicas de cura, assim como Gregory, porém, era visto ser mais eficiente do que o médico rabugento.

A menina se retirava para dentro, em uma ala interna, da barraca. Seria ali que ela exerceria a arte da cura. O jovem olhava os produtos vendidos naquela loja e via que era hora de ter uma TM, mas o preço era inacessível

Ele logo decidia comprar um bolinho PEVOAK, um dos bolinhos de cura que serviria muito em situações de emergência. Como decidia voltar para Nyender City, seria uma boa comprar um para poder usar nas rotas que precede a cidade.

Não demorava muito e Aya retornava de dentro da barraca com as esferas em mão. Ela entregava ao jovem e logo o atendia, pegando bolinhos de cura e entregando para o jovem e recolhendo o dinheiro que o gladiador já havia preparado.

- Muito obrigado, senhor. Espero que possamos nos ver novamente. Posso ajuda-lo em mais algo?

Perguntava todo atenciosa a menina.


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corrida contra o tempo!

Mensagem por Nerkon em Sex 19 Jul 2013, 21:14

Após guardar o bolinho que havia acabado de comprar, Gabriel ouviu a pergunta da garota que estava à sua frente e novamente olhou para ela, respondendo-a:

- Não, obrigado, acho que já vou indo. - Respondeu, levemente inclinando a cabeça antes de voltar-se para a porta e caminhar para fora do PEVOAK. Estava novamente no local da batalha anterior e como esperado lembrava-se de alguns dos eventos que ocorreram durante a batalha, fazendo uma nora mental para leva-los em consideração no futuro.

Mesmo que desejasse sair de Jorvet em breve e ir à rota 2, por algum motivo o rapaz permanecia de pé no centro da rua. Não era um motivo muito complexo, apenas imergia-se em pensamentos. Os olhos castanhos do rapaz já não pareciam mortos como durante a batalha, estavam muito mais vívidos, mesmo que ainda carregassem grande quantidade de tristeza e rancor, que dessa vez compartilhavam o espaço com as dúvidas do gladiador sobre seu rumo.

É verdade que desejava chegar em Chermont o mais rápido o possível, precisava checar o estado de Ayame no hospital e saber se já existia alguma previsão para quando ela acordaria... Mas ao mesmo tempo o loiro precisava treinar, evoluir seus pokémons e expandir suas finanças por meio das batalhas além de capturar novos "soldados", afinal, de que seria útil reencontrar com aquela garota que ele tanto gostava caso não pudesse protege-la... O motivo para separar-se dela havia sido sua própria incapacidade, algo que teria de ser descartado.

Julgou, então, que realmente seria melhor voltar até Nyender como já vinha pensando. Talvez encontrasse alguns pokémons fortes ou seu ovo chocasse, independente de tal o loiro tinha total certeza de que o caminho seria o suficiente para evoluir ambos de seus pokémons, dando-os um poder muito maior. Após regressar à Jorvet ele poderia pensar novamente em que rumo tomar.

Com seu destino decidido, Gabriel virou-se para o mesmo caminho que ele havia tomado para chegar à Jorvet e começou a seguir até a rota 2... A mesma onde havia encontrado Ayame nos braços da morte.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corrida contra o tempo!

Mensagem por Ayzen em Sex 19 Jul 2013, 21:44

Ayame permanecia em Chermont City e mesmo diante da necessidade do jovem gladiador em vê-la, ele agia mais pela razão e não pela emoção. Ele teria que treinar mais e ampliar os poderes de seus Pokémon, além de conseguir uma boa quantia financeira.

O jovem seguia pelas ruas, mas antes parava naquela chão batido onde ocorreu a sua batalha. Ele via tudo em flash naquele momento, mas seria possível saber se ele tinha um outro ser dormindo dentro de si? Será que o jovem sabia dessa existência?

O céu não gostava nada disso, no entanto, via-se aberto e claro, como se agora o maligno dormisse dentro de si, devido à grande força que gastou para poder mostrar parte de sua face.

O jovem seguia pelas ruas e logo via a porta de saída do vilarejo para a rota 2, um lugar que poderia aguardar várias surpresas dentro de um único objetivo que era o de adquirir poder.



NARRE A SUA SAÍDA DA VILA OU PERMANÊNCIA NA MESMA

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corrida contra o tempo!

Mensagem por Nerkon em Sex 19 Jul 2013, 21:59

A rota 2 estava à frente e com isso a história da primeira passagem de Gabriel por Jorvet chegava à um fim. O loiro não pensou duas vezes, avançou e deu seu primeiro passo em sua segunda jornada por aquela rota.


Off: Obrigado por me narrar o/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corrida contra o tempo!

Mensagem por Ayzen em Sex 19 Jul 2013, 22:21

O prazer foi meu, e perdoe os postes sem criatividade. X.X
Rota encerrada. Pontos Adicionados.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corrida contra o tempo!

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 3 Anterior  1, 2, 3

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum